série a1

Estado dos gramados preocupa FPF no início do Campeonato Pernambucano

Seca que assola o Nordeste é a principal causa da precariedade dos gramados

Matheus Cunha
Matheus Cunha
Publicado em 27/12/2016 às 7:17
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

Os clubes intermediários que irão disputar a Série A1 do Campeonato Pernambucano em 2017 têm até hoje para enviar os laudos técnicos dos estádios para a Federação Pernambucana de Futebol (FPF). Apesar da federação fazer vistorias in loco nas praças esportivas, apenas laudos serão exigidos dos clubes. Mesmo assim, alguns estádios ainda preocupam para este início de campeonato. 

Segundo a FPF, os gramados que mais preocupam são os de Serra Talhada, Belo Jardim e Salgueiro. A seca que o Nordeste vem enfrentando nos últimos anos é a grande vilã dos problemas. A preocupação da FPF é tanta, que a entidade contratou a empresa paulista Campanelli, especializada em gramados esportivos, para tratar dos campos. 

Divulgação
Estádio Vianão, em Afogados da Ingazeira, apresenta bom estado de preservação - Divulgação
Divulgação
O gramado do Ademir Cunha, em Paulista, sofreu com as peladas de final de ano. Precisa de reparos - Divulgação
Ricardo Labastier/JC Imagem
Sempre criticado, o gramado do Lacerdão é um dos que enfrenta problemas com a seca - Ricardo Labastier/JC Imagem
Divulgação
Áureo Bradley possui um dos melhores gramados. O Flamengo conta com ajuda da prefeitura de Arcoverde - Divulgação
Divulgação
Cornélio de Barros, em Salgueiro, preocupa a FPF por conta dos tons amarelados - Divulgação
Divulgação
Carneirão passa por reformas no gramado. Tudo deve estar pronto até o início do Pernambucano - Divulgação

Mesmo enfrentando uma forte estiagem na cidade, o Flamengo de Arcoverde não terá problemas com relação ao seu estádio. O próprio presidente do clube garante que o gramado do Áureo Bradley, local das partidas do Tigre, é o melhor do interior. Olavo Bandeira credita o feito ao trabalho entre clube e prefeitura. 

“Temos o melhor gramado do interior. Quanto à seca, a prefeitura está mantendo a água para irrigar o gramado e está ajudando muito”, afirmou. 

Se por um lado o Aureo Bradley não requer muitos cuidados, o mesmo não se repete quando o assunto é o estádio Paulo Petribú, em Carpina. O local será a casa do Atlético-PE na Série A1 e ainda não teve os laudos emitidos. Existe até a possibilidade do Tatu Bola ter que jogar de portões fechados ou até mesmo fora de Carpina. 

TRÊS AVANÇAM

Das nove equipes do primeiro turno, três avançam para o hexagonal do título, onde terão a companhia de Náutico, Santa Cruz e Sport. Quem avançar garante também vaga na Série D do Campeonato Brasileiro em 2018. Os jogos começam dia 4 de janeiro e se encerram no dia 25 do mesmo mês. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias