LIBERTADORES

Final entre Flamengo e River Plate será em Lima, no Peru

Conmebol decidiu tirar nesta terça a decisão de Santiago, devido à crise no Chile

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 05/11/2019 às 20:11
Notícia
AFP
Conmebol decidiu tirar nesta terça a decisão de Santiago, devido à crise no Chile - FOTO: AFP
Leitura:

A Conmebol anunciou nesta terça-feira (5) que a final em jogo único da Copa Libertadores entre River Plate e Flamengo não será mais em Santiago. Por causa dos protestos violentos ocorridos no Chile nas últimas semanas, a partida foi transferida para o Estádio Monumental de Lima, no Peru. A data está mantida: dia 23 de novembro.

A entidade ainda disse que os torcedores que já haviam comprado seus ingressos serão reembolsados e terão prioridade na compra dos novos bilhetes, agora no Peru. Além disso, a Conmebol garantiu que trabalhará junto com as companhias aéreas para minimizar o prejuízo de quem já havia comprado as passagens aéreas para o Chile.

"Novas circunstâncias de força maior e ordem pública, analisadas e avaliadas com prudência, considerando a segurança dos jogadores, público e das delegações, motivaram a decisão de levar a final da Libertadores 2019 a Lima, Peru, e manter a data inicial de 23 de novembro", anunciou a Conmebol.

A decisão de tirar o jogo de Santiago foi tomada após reunião na sede da Conmebol, no Paraguai, com representantes dos dois clubes e das federações nacionais de Brasil, Argentina e Chile.

"A escolha do novo palco se apoia no oferecimento do governo do Peru, nas garantias de segurança. A decisão foi um consenso com os presidentes de Flamengo e River Plate, das confederações da Argentina, Brasil e Chile, e dessa forma se manteve a política de realizar as finais únicas em diferentes países", acrescentou a entidade sul-americana em nota oficial.

"A Conmebol agradece muito ao governo do Chile e aos diversos órgãos públicos a ativa colaboração para a correta organização da final única da Libertadores 2019. Desejamos ao povo chileno e a suas autoridades paz e boa vontade", concluiu a Conmebol.

CRISE

A crise social enfrentada pelo Chile deixou 20 mortos e cancelou diversos eventos esportivos no país. Neste terça-feira, as federações chilena e da Bolívia anunciaram o cancelamento do amistoso marcado para o próximo dia 15, na cidade de Concepción. Antes, já havia sido cancelado o QS 1500 Maui and Sons Pichilemu Women's Pro by Royal Guard, etapa da divisão de acesso do Circuito Mundial de Surfe, que seria disputada de 31 de outubro a 2 de novembro. O evento foi adiado para 13 a 15 de dezembro, em Punta de Lobos, em Pichilemu, no sul do Chile.

Além do surfe, o futsal teve um evento cancelado. A Conmebol optou por suspender a Copa América de Futsal, que seria disputada na cidade de Los Angeles, a 513 quilômetros de Santiago, de 23 a 30 de outubro.

Pela terceira semana seguida, a Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP) do Chile cancelou as partidas de futebol organizadas pela entidade no país. Tudo por causa dos problemas políticos que a presidência vem enfrentando, principalmente em Santiago, com manifestações de muitas pessoas nas ruas. "A ANFP e os clubes de futebol do Chile ratificam seu compromisso com a segurança dos torcedores, jogadores, jogadoras e crianças que nos acompanham", disse em comunicado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias