tragédia

Flamengo recorrerá de decisão favorável às famílias da tragédia no CT

Direção do Flamengo alega que não reconhece no Ministério Público o direito de entrar com ação. Clube terá que pagar R$ 10 mil por cada família das vítimas

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 10/12/2019 às 10:00
Notícia
Divulgação
Direção do Flamengo alega que não reconhece no Ministério Público o direito de entrar com ação. Clube terá que pagar R$ 10 mil por cada família das vítimas - FOTO: Divulgação
Leitura:

O vice-presidente geral e jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, disse que o clube vai recorrer da decisão da 1ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que obriga o rubro-negro a pagar R$ 10 mil mensais para cada família vítima na tragédia do CT Ninho do Urubu. De acordo com o dirigente, o Ministério Público não tem "direito de entrar com ação".

"Se quiserem fazer um acordo para receber mais, nós faremos acordo. Mas não reconhecemos no Ministério Público direito de entrar com ação. Proposta excepcional, muito boa, mas às vezes tem gente que quer tirar mais. Chegamos em um patamar que não temos como chegar para uma (família) e falar: 'você que fechou vai ganhar menos'", explicou o dirigente.

PAGAMENTO

Na semana passada, a 1ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que o clube pagasse o valor para as famílias dos 13 garotos envolvidos na tragédia - 10 mortos e 3 feridos. A ação, que partiu da Defensoria Pública e do Ministério Público estaduais, pede também a interdição do Ninho do Urubu e o bloqueio de ativos do Flamengo. Tais pedidos já foram indeferidos.

Desde a tragédia, ocorrida em fevereiro, o clube já paga R$ 5 mil mensais para cada família até que as disputas judiciais cheguem ao fim. Para cumprir o que determina a Justiça, o Flamengo pagaria R$ 120 mil por ano para cada família. São 13 no total, o que daria um custo de R$ 1,5 milhão por ano. Só pelo título do Brasileirão, o Fla recebeu R$ 33 milhões em premiação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias