O CARA

Marco Antônio, o dono da bola no Náutico

Meio-campista alvirrubro já deu cinco assistências e marcou um gol na Série B

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 18/10/2016 às 8:07
Foto: JC Imagem
Meio-campista alvirrubro já deu cinco assistências e marcou um gol na Série B - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Desde que chegou ao Náutico, Marco Antônio vem jogando o fino da bola. De longe é considerado o jogador mais importante nessa arrancada do time alvirrubro na Série B. Em sua segunda passagem pelo clube, o meio-campista já disputou seis partidas e o Timbu conquistou seis vitórias. Os números individuais do atleta impressionam ainda mais: ele marcou um gol, o da vitória contra o Bragantino, e deu cinco assistências que resultaram em gol.

“Estou vivendo um momento maravilhoso. Nem nas minhas melhores imaginações pensei que com seis jogos ia estar com seis vitórias e esses números. Gosto bastante de dar assistência ou mesmo começar uma jogada que possa resultar em gol. Nunca foi minha característica fazer muitos gols. Então, procuro no dia a dia aprimorar para deixar meu companheiro na cara do gol”, declarou Marco Antônio.

Como chegou no decorrer da Série B e não teve tempo para se entrosar com o restante do grupo, o meio-campista alvirrubro afirmou que busca conversar bastante com os jogadores para encontrar o melhor entendimento dentro de campo. “Falo bastante com todos, pois uma cobrança de falta, escanteio ou um lançamento pode surgir a chance de marcar o gol, mas para executar o passe é preciso ter entrosamento com a movimentação dos companheiros”, disse o meia, que revelou sempre combinar jogadas com os zagueiros timbus. “Converso muito com Rafael (Pereira), pois ele ataca muito bem a bola alçada na área. Faço o mesmo com Igor (Rabello), tanto que quando a falta saiu contra o Ceará, a gente se olhou e procurei mandar a bola na melhor condição para ele cabecear. Graças a Deus deu certo e conseguimos a vitória”, contou.

Além do zagueiro, Bergson, Rodrigo Souza e Rony, duas vezes, já balançaram as redes adversárias depois de receber lançamento de Marco Antônio.

ELOGIOS

Vítima constante das cobranças de falta do meio-campista nos treinamentos, o goleiro Rodolpho não ficou surpreso com a perfeição com que Marco colocou a bola na cabeça de Igor Rabello, mesmo com o cronômetro marcando 48 minutos do segundo tempo e com o meia extremamente esgotado fisicamente.

“A qualidade na batida de bola e a precisão que ele tem é muito boa. Você ter um cara desse na equipe, que consegue colocar a bola aonde quer ajuda bastante. Até brinquei com ele depois do jogo dizendo que se ele tiver com cãibras nas duas pernas ou se não tiver enxergando, que pode deixar ele no jogo pois pode resolver a qualquer momento”, brincou o goleiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias