NÁUTICO

Erros em gols sofridos provocam alerta no Náutico

Falha em gol de Pipico foi apenas mais uma nos quatro gols sofridos com Dal Pozzo

Diego Borges
Diego Borges
Publicado em 24/06/2019 às 8:04
Notícia
Foto: Léo Lemos/ Náutico
Falha em gol de Pipico foi apenas mais uma nos quatro gols sofridos com Dal Pozzo - FOTO: Foto: Léo Lemos/ Náutico
Leitura:

A derrota para o Santa Cruz no Clássico do último sábado (22) deixou ainda mais em evidência um problema que o Náutico vem tentando superar ao longo da temporada. O gol marcado por Pipico, após falha na saída de jogo da equipe alvirrubra, foi apenas mais um sofrido pelo Timbu em lances de falhas do sistema defensivo.

Foi assim contra o Confiança, com gol originado de uma cobrança de lateral, contra o Globo, em duas jogadas explorando a ala direita e as linhas de impedimento alvirrubras, e sábado, em passe errado do zagueiro Fernando Lombardi. Situação que gerou alerta do técnico Gilmar Dal Pozzo.

“Desde que eu cheguei no Náutico, os gols que a gente tomou foram de erros nossos. Não teve uma jogada de infiltração. Os dois gols (sofridos) contra o Globo também foram de erros nossos, fazendo linha de impedimento e hoje (sábado) foi um erro nosso também. Não foi o adversário que criou ou infiltrou, nem o Jefferson fez grandes defesas. Ele fez intervenções, mas não teve grandes situações”, apontou o treinador, antes de cobrar responsabilidade aos jogadores.

“Acontece. Jogadores têm que ter personalidade e se reabilitar. Se não, a cada jogo em que um atleta falha e eu tirar do time, chego no final do campeonato sem ter onze para escalar. Tem que ter responsabilidade. Todos os atletas assumem as suas e o técnico assume também. É assim que a gente faz um grupo fortalecido para disputar a competição.”

Ao analisar a falha do zagueiro Lombardi, Dal Pozzo ressaltou a confiança que tem no atleta e também se pôs como responsável pela derrota para o Santa Cruz. “A gente não está colocando a responsabilidade apenas para um atleta. Ela é minha também. Mas é com trabalho e com conversa. Neste caso, nessa situação do Lombardi, com toda a experiência dele, o que aconteceu em inúmeras situações na carreira, tem que bater no peito e seguir. Chegar lá na (reapresentação) segunda-feira, trabalhar e concentrar parar não acontecer mais nessa competição.”

EXEMPLO

Situação que se torna exemplo para os demais atletas, sobretudo para o setor de ataque, que falhou nas chances que teve para abrir o placar. Sobretudo com Wallace Pernambucano, que teve uma chance cara a cara com Anderson após roubada de bola e Matheus Carvalho, pouco antes do gol marcado por Pipico.

“Não só ele (Lombardi), como os outros atletas. Claro que defensivamente chamam muito a atenção os erros individuais e coletivos, mas não vamos esquecer que em alguns momentos, quando estávamos melhores, se a gente tivesse feito o gol, poderíamos ter mudado a história do jogo”, frisou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias