Alvirrubro

Direção do Náutico mira acordo com zagueiros e fala sobre centroavantes

Camutanga e Diego Silva estão na pauta para renovação, enquanto permanência de Wallace PE e Rafael Oliveira é tratada com cautela

klisman
klisman
Publicado em 17/10/2019 às 9:29
Notícia
Foto: Léo Lemos/Náutico
Camutanga e Diego Silva estão na pauta para renovação, enquanto permanência de Wallace PE e Rafael Oliveira é tratada com cautela - FOTO: Foto: Léo Lemos/Náutico
Leitura:

O setor de defesa do Náutico deve ser o que mais concentrará as renovações da equipe para a próxima temporada. Além das permanências do goleiro Jefferson e do lateral-direito Hereda, que possuem contrato mais longo, e da renovação do lateral-esquerdo Wilian Simões, outros nomes devem fechar nos próximos dias. Os zagueiros Camutanga e Diego Silva, que formaram a dupla de zaga titular em boa parte da reta final timbu na Série C, estão nos planos da direção para seguir no clube.

“Temos interesse nos dois. Camutanga bastante interesse, com a lesão dele há naturalmente uma situação de continuidade, porque o atleta machucou no clube e temos que tratar o atleta. Então é uma continuidade bem natural por conta da contusão, mas a gente já vinha conversando com o atleta e o nosso interesse não modificou em nada. E o Diego a gente também tem interesse, até porque a posição menos numerosa da gente é a de zagueiros. Na verdade, temos quatro zagueiros. Diego, Camutanga, Rafael Ribeiro e Lombardi, e há interesse do clube na continuidade dos quatro e fazer ainda o incremento com mais uma ou duas contratações”, avaliou o vice-presidente de futebol do Náutico, Diógenes Braga.

O zagueiro Fernando Lombardi, de 37 anos, é um dos atletas que tem sua renovação encaminhada com o Alvirrubro. Ele, além do volante Josa, são dois jogadores que devem permanecer por pedido do técnico Gilmar Dal Pozzo, que conta com a liderança de ambos para o trabalho da próxima temporada.

CENTROAVANTES

Nesta posição é que há uma maior cautela por parte da direção alvirrubra. Wallace Pernambucano viveu sua melhor temporada em 2019, com 12 gols em 45 jogos. Já Rafael Oliveira voltou a ter sequência de jogo após dois anos com problemas físicos recorrentes. Porém, no balanço geral, a permanência dos dois não é certa, já que terminaram o ano em baixa. 

Wallace encerrou o ano com 17 jogos sem balançar as redes. Seu último gol havia sido no dia 10 de junho, em duelo contra o Sampaio Corrêa, em que o Náutico venceu por 2 a 0. Na Terceira Divisão, anotou apenas três tentos. Já Rafael ainda convive com o fantasma das lesões. Emendou uma sequência de jogos no campeonato nacional e ganhou a titularidade, marcando duas vezes no torneio. Porém, lesionou-se novamente no jogo do acesso, contra o Paysandu. Por se tratarem de atletas com patamar salarial mais alto, o custo-benefício deve pesar na decisão de renovar.

“Rafael Oliveira e Wallace são situações em que a gente vai avaliar o orçamento que a gente tem. Não são atletas de salário baixo. É avaliar como a gente via fazer essa montagem do elenco e como a gente vai proceder em relação a isso”, encerrou Diógenes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias