Contratações

Náutico sonha com retorno de ídolos, mas esbarra em questão financeira

"A gente tem um planejamento financeiro e não vamos sair dele", destacou o vice-presidente do Náutico

Fernando Marinho
Fernando Marinho
Publicado em 28/11/2019 às 7:51
Notícia
Marcos Matheus/Fortaleza
"A gente tem um planejamento financeiro e não vamos sair dele", destacou o vice-presidente do Náutico - FOTO: Marcos Matheus/Fortaleza
Leitura:

O acesso à Série B garantiu ao Náutico um aumento de receitas para a próxima temporada e, aos mesmo tempo, deixou a torcida alvirrubra na expectativa pela contratação de jogadores mais qualificados, especialmente aqueles que tiverem boas passagens pelo clube. A reportagem do Jornal do Commercio questionou Diógenes Braga, vice-presidente do clube, sobre o interesse nos nomes do volante Souza e dos atacantes Kieza e Ortigoza, trio que costuma sempre sempre ser lembrado pelos torcedores.

"A gente tem um planejamento financeiro e não vamos sair dele. Se um jogador de um quilate mais alto, se um ídolo se encaixa dentro do planejamento financeiro ótimo, mas o grande desafio é fazer esse tipo de jogador, que tem um patamar financeiro mais alto, se encaixar na nossa política. A gente não vai fazer loucura, todos esses atletas citados, não só a torcida, mas nós também gostaríamos de ver no clube, mas a gente não pode fazer a loucura de trazer um atleta sem poder pagar, depois compromete o processo e se arranha com o ídolo", destacou Diógenes.

Artilheiro do Náutico no ano passado com uma média de um gol a cada dois jogos, o atacante Ortigoza, de 32 anos, ajudou o Timbu a conquistar o Campeonato Pernambucano do ano passado e foi um dos principais nomes do time durante a temporada. Atualmente o atleta defende o Guaraní, do Paraguai, time pelo qual o pai do jogador torce. O clube paraguaio, aliás, vive uma excelente fase no país e se classificou para a Libertadores do próximo ano. Mais perto da família, Ortigoza tem volta ao Brasil praticamente descartada.

Já o atacante Kieza e o volante Souza, passaram pelo Náutico há mais tempo. Os jogadores fizeram parte da boa campanha do clube na Série A de 2012, quando o time alvirrubro se classificou para a Copa Sul-Americana do ano seguinte. Há quatro anos no futebol japonês defendendo o Cerezo Osaka, o meio-campista, de 31 anos, passou por Palmeiras, Cruzeiro, Santos e Bahia depois que deixou o Timbu.

Em baixa no Fortaleza, Kieza tem duas passagens de sucesso pelo Náutico. Um ano antes de voltar ao Timbu em 2012, o jogador foi artilheiro da Série B e ajudou o time alvirrubro a conquistar o acesso e o vice-campeonato nacional. Aos 33 anos, o goleador não vive boa fase, mas mesmo assim tem um salário considerado alto para o atual patamar financeiro do Náutico.

"O ídolo tem que ser muito respeitado, para trazer de volta um jogador que foi ídolo do clube tem que ser em uma condição que ele sinta que vale a pena ter voltado, no sentido de recebimento dos seus cumprimentos em dia e tudo mais. É uma questão de planejamento financeiro, isso é um pouco duro para a torcida, por que a torcida gosta da contratação que motiva e a gente entende isso, mas vamos continuar sendo obedientes ao planejamento financeiro", exaltou o vice-presidente alvirrubro.

PÉS NO CHÃO

O dirigente pontuou ainda que o Náutico pretende manter as finanças nos moldes dos últimos dois anos, com folha enxuta. Para Diógenes Braga, as conquistas do clube dentro de campo nos últimos dois anos se deu graças a política de austeridade financeira adotada pela atual gestão executiva.

Em dois anos nós conseguimos vencer o Campeonato Pernambucano encerrando um jejum de 13 anos sem título, conseguimos o acesso à Série B, que desportivamente talvez tenha sido a maior conquista da gestão, conseguimos conquistar o primeiro título nacional da história do clube. Isso tudo só aconteceu pela obediência ao planejamento financeiro e nós não vamos fazer diferente, não vamos fugir disso.

FECHADOS

O Náutico está próximo de anunciar a contratação de mais dois reforços para a próxima temporada. A diretoria alvirrubra aguarda o fim da Série B, neste sábado (30), e da Série A, que acaba no início de dezembro, para anunciar os nomes dos jogadores. Pelo menos é o que garantiu o presidente Edno Melo, que preferiu não adiantar as posições e não revelar os nomes, já que os contratos ainda não foram anunciados. 

"A gente está praticamente fechado com mais dois atletas, mas não podemos divulgar porque não acabou as competições que eles estão disputando e a gente ainda não tem contrato assinado. Estamos montando o nosso elenco para 2020, Gilmar Dal Pozzo está atento, Diógenes Braga e ítalo Rodrigues também. Hoje o que posso dizer é que encerrando os objetivos dos clubes dos quais esses jogadores estão atuando, a gente vai anunciar pelo menos dois jogadores", revelou o Edno Melo em entrevista à Rádio Jornal.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias