RIO-2016

Rio 2016: vila recebe atletas paralímpicos a partir de 1º de setembro

O local será preparado para receber mais de 6 mil atletas paralímpicos

ABr
ABr
Publicado em 24/08/2016 às 15:05
Foto: André Motta/Brasil2016
O local será preparado para receber mais de 6 mil atletas paralímpicos - FOTO: Foto: André Motta/Brasil2016
Leitura:

Três dias após o encerramento dos Jogos Olímpicos Rio 2016, no Rio, praticamente todas as delegações dos atletas já deixaram a Vila Olímpica, localizada na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. O local será preparado agora para receber, a partir do dia 1º de setembro, mais de 6 mil atletas paralímpicos, com delegações de 176 países, a partir do dia 1º de setembro. A Paralimpíada começa no dia 7.

Embora os atletas tenham até às 17h de nesta quarta-feira (24) para deixar o local, segundo informações do Comitê Rio 2016, vários apartamentos ainda estão ocupados e ainda é possível ver bandeiras em varandas dos 3.604 apartamentos que fazem parte do conjunto de prédios. Nas últimas semanas, mais de 15 mil atletas e desportistas se hospedaram no local.

Segundo organizadores, a Vila dos Atletas é a maior instalação olímpica já construída, com seus 31 prédios de até 17 andares e com capacidade para abrigar até 17 mil pessoas.

Na Olimpíada de Londres, em 2012, a maioria dos atletas ficou hospedada em cidades localizadas nas proximidades da capital inglesa e, de lá, seguiam para as competições esportivas.

Como o local foi construído também para receber as delegações paralímpicas. Em todos os prédios da Vila dos Atletas há unidades adaptadas para receber pessoas portadoras de deficiência física e dificuldade de locomoção.

Os apartamentos têm portas largas, chuveiros altos, corredores amplos com proteções que não só facilitam a locomoção como evitam quedas e transtornos. Os elevadores foram concebidos para receber até duas cadeiras de rodas simultaneamente.

As camas têm mais de 2 metros de comprimento e as portas são 10 centímetros mais largas que as convencionais. De maneira geral, todo o projeto está de acordo com as normas internacionais de acessibilidade para portadores de necessidades especiais.

A construção da vila ficou a cargo do consórcio Ilha Pura, formado pela Carvalho Hosken e pela Odebrecht Realizações Imobiliárias, que ficou responsável pela aquisição do terreno e implantação do projeto. Já as obras de infraestrutura interna, como saneamento básico e pavimentação de ruas ficaram sob a responsabilidade da prefeitura do Rio, que a partir de uma Parceria Público Privada (PPP) desenvolveu toda a infraestrutura da Vila Olímpica.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias