Série A

Doriva na lanterna entre os técnicos do Santa Cruz

Atual técnico coral tem apenas 26% de aproveitamento, o pior desde 2011

Diego Toscano
Diego Toscano
Publicado em 14/10/2016 às 7:39
Diego Nigro/JC Imagem
Atual técnico coral tem apenas 26% de aproveitamento, o pior desde 2011 - FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Completando três meses no comando do Santa Cruz no próximo sábado (15), o técnico Doriva tem pouco o que comemorar no Arruda. Até agora, foram 14 jogos pela Cobra Coral, com três vitórias, dois empates e nove derrotas. Com apenas 26% de aproveitamento, o treinador detém uma marca nada favorável no clube. Desde 2011, quando a arrancada do Santa começou, ainda na Série D e com o título do Estadual, Doriva tem o pior retrospecto entre os oito comandantes que passaram pelo tricolor nas últimas seis temporadas.

“Eu sabia que a situação era difícil desde o primeiro momento que vim. Infelizmente, pouca coisa a gente conseguiu reverter. No meu modo de ver, tivemos boas performances, mas não conseguimos fazer os pontos ainda. Temos que continuar buscando. Enquanto eu estiver aqui, vou dar minha vida pelo Santa Cruz”, afirmou Doriva.

O PIOR E O MELHOR

Oito treinadores antecederam Doriva de 2011 para cá. O melhor no período foi o técnico Marcelo Martelotte. Na sua primeira passagem pelo Tricolor do Arruda, em 2013, o ex-goleiro teve 16 vitórias, cinco empates e seis derrotas e 65% de aproveitamento. Após o título do Pernambucano, Martelotte trocou o Santa pelo Sport.

Depois de Doriva, o pior no comando do Santa dentro dos últimos seis anos foi Sérgio Guedes. Em 2014, o técnico teve 43% de aproveitamento, fruto de nove vitórias, 10 empates e sete derrotas. Guedes substituiu Vica na disputa do terceiro lugar do Estadual e para a Série B, competição que não comandou o time do início ao fim. Em setembro, Oliveira Canindé chegou ao clube. Foram só dois meses, com 16 jogos: sete triunfos, quatro igualdades, cinco reveses e 52% de aproveitamento.

MAIS E MENOS TEMPO

Dentre todos, quem mais comandou o time foi Zé Teodoro. Técnico responsável pelo início da reconstrução coral no futebol brasileiro, com bicampeonato pernambucano e o acesso para a Série C, Teodoro fez 91 partidas. Com 59% de aproveitamento, foram 48 vitórias, 19 empates e 24 derrotas. Já Sandro Barbosa, que foi efetivado no comando do Santa na Terceirona de 2013, foi o que menos tempo teve no Santa: só 11 jogos, com cinco triunfos, duas igualdades, quatro reveses e 51,5% de aproveitamento.

Neste ano, antes de Doriva, mais dois treinadores passaram pelo Arruda. Técnico que colocou o Santa na Série A após 10 anos, Marcelo Martelotte teve uma segunda passagem também vitoriosa. Com 46 jogos, teve 25 vitórias, nove empates e 12 derrotas, com 60% de aproveitamento. Já Milton Mendes, que levou o time para os títulos do Pernambucano e da inédita Copa do Nordeste, comandou o time por 32 partidas, com 12 triunfos, nove igualdades e 11 reveses.

OS APROVEITAMENTOS

Treinador - Período - Aproveitamento - Campanha

Marcelo Martelotte - 2013 - 65% - 16V5E6D

Vica - 2013 e 2014 - 61% - 21V11E9D

Marcelo Martelotte - 2015 e 2016 - 60% - 25V9E12D

Zé Teodoro - 2011 e 2012 - 59% - 48V19E24D

Oliveira Canindé - 2014 - 52% - 7V4E5D

Sandro Barbosa - 2013 - 51% - 5V2E4D

Milton Mendes - 2016 - 46,8% - 12V9E11D

Ricardinho - 2015 - 46% - 8V5E8D

Sérgio Guedes - 2014 - 43% - 9V10E7D

 

Doriva - 2016 - 26% - 3V2E9D

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias