Cobra Coral

'Tenho respaldo de boa parte da torcida', afirma técnico do Santa Cruz

Santa Cruz ainda não venceu na Série C do Campeonato Brasileiro e somou apenas dois pontos

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 18/05/2019 às 10:16
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Santa Cruz ainda não venceu na Série C do Campeonato Brasileiro e somou apenas dois pontos - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Apesar do Santa Cruz não vencer há quatro jogos, o técnico Leston Júnior seguiu com a postura otimista e exaltou o apoio que tem recebido da torcida coral no dia a dia na cidade do Recife. Ele salientou que incomoda o momento recente em baixa do time coral. O treinador tem 49,4% de aproveitamento em 29 partidas. Mais precisamente: 11 vitórias, 10 empates e 8 derrotas entre Estadual, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C.

“Você só pode se sentir ofendido quando concorda com o que a pessoa está falando. Se o cara vier falar comigo e dizer que o time jogou com a bunda na parede contra o Fortaleza, não vou ligar pra isso porque não foi o que aconteceu. A relação minha com o torcedor é muito tranquila. Estou muito incomodado com o tamanho do incentivo e apoio que estou recebendo. Isso porque acredito que preciso corresponder com resultados a esse carinho”, comentou o comandante.

Leston frisou que acredita que a maior parte da torcida do Santa aprova o trabalho dele. “Sou privilegiado em trabalhar num clube desse tamanho. Tenho respaldo de boa parte da torcida. Unanimidade ninguém nunca será. Procuro focar no apoio. Existe cobrança, existe. Mas coisa ruim já existe demais na sociedade”, ressaltou.

APOIO

O treinador pediu para a torcida não vaiar o elenco durante o duelo contra o Sampaio Corrêa. A justificativa dele é que as críticas durante os 90 minutos podem interferir na performance da Cobra Coral. Além disso, Leston Júnior chamou para si a responsabilidade de qualquer tropeço. Tanto comissão técnica como elenco e direção contam com o apoio das arquibancadas para voltar a vencer na temporada.

“Sobre as críticas, que bom que foque no treinador. Amanhã (sábado) qualquer coisa desse tipo precisa ser direcionada a mim. Eu não dependo da minha confiança para jogar. Ao contrário do jogador. Por isso, me queixo muito pelo tempo sem treinar. Porque o que mais posso fazer gira em torno da preparação”, finalizou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias