AUSÊNCIA

Magrão não se reapresenta no Sport e aumenta especulação de antecipar aposentadoria

Conforme a reportagem do Jornal do Commercio antecipou, o goleiro de 42 anos cogita pendurar as luvas

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 21/06/2019 às 16:04
Notícia
Foto: JC Imagem
Conforme a reportagem do Jornal do Commercio antecipou, o goleiro de 42 anos cogita pendurar as luvas - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

O recesso de nove dias do goleiro Magrão está sendo de muita reflexão. Nesse período sem treinos e jogos da Série B, o ídolo do Sport aproveitou para ficar recluso ao lado de sua família, em São Paulo, e pensar no seu futuro. Seguir ou não na rotina do futebol? Mesmo com contrato com o Leão até dezembro, o veterano de 42 anos segue cogitando a possibilidade de antecipar a sua aposentadoria e pendurar as luvas nessa parada da Segundona, como antecipou a reportagem do Jornal do Commercio na última terça-feira (18). Na tarde desta sexta-feira (21), o camisa 1 rubro-negro não se reapresentou no CT José de Andrade Médicis, aumentando ainda mais os indícios de que ele pretende abandonar os gramados.

>> Veja o especial sobre Magrão

Diante da ausência do ídolo rubro-negro, a diretoria do Sport concedeu uma coletiva para se posicionar quanto o não comparecimento de Magrão. "A apresentação estava marcada para as 15h30. Não fomos informados de nada. Magrão é um profissional que tem 11 anos de clube (na verdade 14 anos) e nunca teve um atraso. O que falarmos aqui é suposição. Vamos aguardar até que Magrão entre em contato com a gente", contou Nelo Campos, diretor de futebol.

Já o também diretor Wanderson Lacerda não enxerga nenhum tipo de problema caso Magrão tenha resolvido pendurar as luvas. "Magrão sempre teve uma conduta ilibada. Não vejo nada de mais caso ele resolva antecipar a sua aposentadoria", declarou o dirigente leonino.

ENTENDA O CASO

Bastante brincalhão nos corredores do Centro de Treinamento e da Ilha do Retiro, Magrão passou arrancar risos de jogadores e funcionários afirmando que "esse foi meu último treino, amanhã não venho mais". Porém, no dia seguinte, lá estava ele. O primeiro a entrar no campo para treinar. Entretanto, esse clima de brincadeira se transformou em clima de despedida e dúvida após o jogo contra o CRB.

Felizes com a vitória conquistada diante dos alagoanos, os rubro-negros foram para o vestiário comemorando a soma de mais três pontos. Mas, passada a euforia, as atenções foram voltadas para Magrão, que, cabisbaixo, se despedia de todos de maneira emotiva. "Não foi um: até semana que vem", disse uma fonte à reportagem do Jornal do Commercio, percebendo que aquele adeus foi diferente.

Diante dessa informação, o JC apurou com pessoas próximas à Magrão sobre a possibilidade de ele não cumprir o contrato e antecipar a aposentadoria. E, a resposta obtida foi que "ele está pensando. Não tem nada confirmado ainda", declarou uma fonte confirmando que, de fato, o goleiro estava reflexivo sobre retornar ou não para o Recife.

Apesar de não ter se apresentado para treinar no CT José de Andrade Médicis, o futuro de Magrão segue uma incógnita, já que o Sport só volta a campo pela Série B no dia 8 de julho, contra o São Bento, em Sorocaba, no interior de São Paulo. A diretoria do Sport segue no aguardo do goleiro e pretende conversar pessoalmente com o camisa 1, para saber suas intenções daqui pra frente. De acordo com o diretor de futebol rubro-negro, Nelo Campos, 'Magrão tem muito a contribuir com Sport até final desse contrato, pelo menos', palavras ditas ao repórter Antônio Gabriel, da Rádio Jornal.

Há algumas semanas, a direção leonina já tinha sentado com Magrão para negociar os atrasados que o clube tem com o atleta, algo em torno de seis meses de salários em aberto - de gestões anteriores. E, de acordo com informações repassadas ao JC, ficou acordada essa repactuação das dívidas, com o goleiro recebendo vencimentos do clube mesmo após o término do seu vínculo - a dívida seria liquidada em um ano, ou seja, no final de 2020.

PLANOS FUTUROS

Ainda segundo apuração do JC, Magrão estaria planejando morar na Itália com a família. Ele tem cidadania italiana e e o seu filho mais velho, Lucas Beti, que é lateral-direito, atua na equipe amadora do Valgatara-ITA. De acordo com informações obtidas pela reportagem, o camisa 1 também tem o desejo que o seu filho mais novo, Rafael Beti, siga com ele para a Europa. Magrão tem amizade com Claudio Filippi, preparador de goleiros da Juventus (o mesmo que elogiou a defesa de Magrão na cabeçada de Rafael Sóbis, contra o Cruzeiro, no Mineirão, no Brasileirão de 2016). Após o elogio do italiano, que naquele momento treinava ninguém menos que Gianluigi Buffon, os dois se aproximaram através de redes sociais e Filippi poderia arrumar um clube para Rafael jogar na Itália.

Lembrando que a filha de Magrão é formada em Direito e também mora na Europa. Gabriela Beti está em Portugal, cursando uma pós-graduação, e com essa possível mudança dos pais ficaria mais próxima da família - o que também estaria pesando na decisão do goleiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias