TRANQUILIDADE

Empate, agora, é bem-vindo no Sport

Jogadores rubro-negros não querem afobação pela vitória e ressaltam que o time já entra em campo com o acesso garantido

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 19/11/2019 às 7:57
Notícia
Foto: JC Imagem
Jogadores rubro-negros não querem afobação pela vitória e ressaltam que o time já entra em campo com o acesso garantido - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Para enfim sacramentar o seu retorno à Primeira Divisão, o Sport tem de fazer o que mais fez nessa Série B: empatar. Se o time rubro-negro chegar ao seu 17º resultado de igualdade nessa Segundona, nesta quarta-feira (20), contra a Ponte Preta, às 21h30, na Ilha do Retiro, pela 37ª rodada da Série B, vai atingir os 65 pontos e, matematicamente, já não poderá ser alcançado pelo América-MG (5º, com 58).

“Sabemos da responsabilidade que temos. É trabalhar para não tomar gol, pois, não tomando, já estaremos com o acesso garantido. Já entramos em campo com o acesso garantido. Então, é trabalhar para isso se concretizar ao final do jogo a nossa volta para Série A”, declarou Luan Polli.

Apesar de o objetivo rubro-negro está muito próximo de ser atingido, o goleiro leonino evita colocar mais pressão em cima do elenco. “O momento é de calma e tranquilidade. Porque querendo ou não, depois desse jogo contra a Ponte Preta, ainda teremos mais um jogo. Precisamos de um ponto para resolver a nossa vida e sacramentar o acesso. Ainda teremos o jogo contra o Atlético-GO também. É ter tranquilidade que as coisas vão sair naturalmente, mas sem deixar de ter motivação e de se entregar em campo. Assim como todos estão tendo”, comentou.

CONTAS

Como está com seis pontos de vantagem para o América-MG, quinto colocado, o Sport pode garantir sua vaga na Série A do próximo ano mesmo em caso de derrota para a Ponte Preta. Pra isso acontecer, basta que o time mineiro, que tem 58 pontos, não vença o seu confronto diante do Guarani, sexta-feira, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, no interior de São Paulo. Isso porque restaria apenas uma rodada e o América-MG não chegaria aos 64 pontos.

“Já fizemos todas as contas. O Sport perder suas partidas e os rivais ganharem suas partidas. Pode acontecer. Futebol é uma caixinha de surpresa. Mas há de convir que no final a gente não vai entregar. A gente está preocupado e vamos levar o jogo contra a Ponte Preta o mais sério possível”, garantiu o presidente do Sport, Milton Bivar, em entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias