PARAISÓPOLIS

Doria lamenta mortes e pede apuração rigorosa sobre ação policial em baile funk de SP

Nove pessoas morreram pisoteadas durante perseguição policial a suspeitos que causou tumulto em baile funk

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 02/12/2019 às 8:06
Notícia
Foto: Rovena Rosa/ABr
Nove pessoas morreram pisoteadas durante perseguição policial a suspeitos que causou tumulto em baile funk - FOTO: Foto: Rovena Rosa/ABr
Leitura:

Através de suas redes sociais, o governador de São Paulo, João Doria, lamentou as nove mortes e garantiu que haveria uma “apuração rigorosa” da perseguição policial a suspeitos que acarretou em tumulto e pisoteamento em baile funk em Paraisópolis (zona sul da capital paulista), nesse domingo (1º).

“Lamento profundamente as mortes ocorridas no baile funk em Paraisópolis nesta noite. Determinei ao Secretário de Segurança Pública, General Campos, apuração rigorosa dos fatos para esclarecer quais foram as circunstâncias e responsabilidades deste triste episódio”, disse.

"Polícia preparada"

Duas horas após publicar a nota, o governador elogiou a política de segurança pública de São Paulo durante discurso em solenidade de filiação do ex-ministro Gustavo Bebianno ao PSDB, no Rio de Janeiro.

"Hoje, São Paulo tem uma polícia preparada, equipada e bem informada", afirmou Doria, governador de São Paulo.

"Não há hipótese de uma comunidade, uma população, uma cidade, um estado ou uma grande região ter paz sem ter segurança. Em São Paulo, isso se faz com seriedade, com planejamento, com estruturação, com inteligência para permitir a ação preventiva do crime, com respeito aos policiais”, disse Doria, afirmando ter aumentado o orçamento da segurança para o ano que vem.

O governador afirmou também que “os melhores indicadores de segurança do país estão em São Paulo”. 

"Não é fruto do acaso. Trabalho, integração da Polícia Civil e Polícia Militar. Equipamento. Formação. Treinamento”, pontuou. Doria ainda lembrou ter enviado 178 policiais para o exterior "para aprender com quem sabe."

Caso

Ao menos nove pessoas morreram pisoteadas na madrugada deste domingo (1º) durante perseguição policial e troca de tiros em baile funk da comunidade Paraisópolis, em São Paulo, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde. Outras duas pessoas ficaram feridas.

Policiais do 16º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) realizavam Operação Pancadão na região de Paraisópolis, quando dois homens em uma motocicleta atiraram contra os agentes. A moto fugiu em direção ao baile funk, ainda efetuando disparos, ocasionando um tumulto entre os frequentadores do evento, segundo a polícia.

Assim, a perseguição começou. Os policiais foram atrás dos suspeitos que entraram no local onde era realizado o baile com mais de 5 mil pessoas, e segundo a força tática, foram dar apoio ao local mas foram recebidos com pedradas e garrafadas.

Os policiais revidaram com munições químicas para dispersão, causando correria. Segundo a polícia, alguém no meio da multidão efetuou um disparo. Durante a confusão, dez pessoas foram pisoteadas e levadas em estado grave ao Pronto Socorro do Campo Limpo. Segundo o UOL pelo menos nove pessoas morreram pisoteadas. A informação foi dada pelo delegado Emiliano da Silva Chaves Neto, do 89º DP.

O delegado disse ainda que os mortos não apresentam ferimento por bala, mas que um dos feridos teve uma lesão na perna que pode ter sido causada por uma bala — não se sabe ainda se por arma de fogo, ou por bala de borracha.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias