Ativismo

Japão proíbe entrada de 11 ecologistas da Sea Shepherd

Organização ambiental se opõe à pesca da baleia, muito comum no país

Da Agência Brasil
Da Agência Brasil
Publicado em 06/01/2015 às 7:23
Leitura:

O Japão proibiu a entrada em seu território de 11 integrantes da organização ambiental Sea Shepherd, que se opõe à pesca da baleia no país, confirmou hoje (6) o governo.

O porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga, explicou que, com base na Lei de Imigração, as autoridades negaram o pedido de entrada por não considerar válidos os motivos da solicitação e porque as atividades a serem desempenhadas no país não estão especificadas nos documentos. Os ativistas da Sea Shepherd têm boicotado regularmente as campanhas de caça da baleia e também a caça de golfinhos, que todos os anos se realiza na localidade de Taiji, em Wakayam.

Ainda que Yoshihide Suga não tenha dado mais detalhes sobre o caso nas declarações divulgadas pela emissora pública NHK, tudo indica que o Departamento de Imigração rejeitou os pedidos de entrada por suspeita de que os 11 membros da Sea Shepherd iriam boicotar a campanha de Taiji, em abril.

A caça de baleias no Japão é habitualmente feita com arpões, sendo a carne dos animais destinada principalmente ao consumo humano. As autoridades locais defendem a captura, alegando o valor tradicional e dizendo que faz parte da cultura gastronômica do país.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias