Oceanos

Japão retoma pesquisas sobre baleias no Antártico

O Japão renunciou à caça de baleias na Antártica durante a temporada 2014-2015 após uma sentença do Tribunal Internacional de Justiça

Da AFP
Da AFP
Publicado em 06/01/2015 às 10:44
Foto: AFP
O Japão renunciou à caça de baleias na Antártica durante a temporada 2014-2015 após uma sentença do Tribunal Internacional de Justiça - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Baleeiros japoneses realizarão a partir de quinta-feira pesquisas sobre as baleias na Antártica, mas sem caçá-las, anunciou nesta terça-feira a agência de pesca do Japão.

Estes estudos de observação e de extração de amostras de pele, a princípio não letais, a cargo do Instituto de Pesquisa sobre os cetáceos, serão realizados até 28 de março, indicou a fonte.

Os barcos zarparão do porto de Shimonoseki (sudoeste), disse a agência em um breve comunicado.

"Os arpões foram retirados dos navios na medida em que as investigações não envolvem a captura de baleias", acrescentou.

O Japão renunciou à caça de baleias na Antártica durante a temporada 2014-2015 após uma sentença do Tribunal Internacional de Justiça (TIJ).

Diante de uma demanda da Austrália, o TIJ considerou que o Japão utilizava com fins comerciais uma atividade de pesquisa.

As organizações ecologistas temem, no entanto, que o Japão ignore a decisão do TIJ e retome a caça de baleias na temporada 2015-2016.

O Japão apresentou à Comissão Baleeira Internacional (CBI) e a sua comissão científica um objetivo anual de captura de 333 baleias minke, em vez das 900 incluídos no programa censurado pelo TIJ.

Segundo as autoridades japonesas, este nível de captura é necessário para poder definir a idade da população baleeira e, consequentemente, o nível de pesca que não coloque a espécie em risco.

O Japão capturou 251 baleias minke na Antártica na temporada 2013-2014 e 103 no ano anterior.

Ao mesmo tempo, o Japão continua caçando baleias em nome da ciência no Pacífico noroeste, onde em 2013 capturou 132 cetáceos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias