Reaproximação

EUA flexibilizam restrições à importação de bens e serviços cubanos

A diplomacia americana também publicou uma nota relacionando os tipos de produtos que não estão incluídos na nova norma

AFP
AFP
Publicado em 13/02/2015 às 21:48
Foto: JOE RAEDLE  /GETTY IMAGES NORTH AMERICA /AFP
A diplomacia americana também publicou uma nota relacionando os tipos de produtos que não estão incluídos na nova norma - FOTO: Foto: JOE RAEDLE /GETTY IMAGES NORTH AMERICA /AFP
Leitura:

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira a flexibilização de suas normas comerciais para permitir a importação, para território americano, de bens e serviços produzidos por empresários privados cubanos - informou o Departamento de Estado americano.

De acordo com a nova norma, que entra em vigor com efeito imediato, o Departamento do Comércio americano elaborou uma lista de bens e serviços "produzidos por empresários cubanos independentes" que poderão ser importados, caso se enquadrem nas condições estabelecidas.

Para poder exportar seus produtos e serviços para os Estados Unidos, esses empresários cubanos devem obter das autoridades locais uma licença que certifique seu caráter privado. Segundo o governo americano, isso demanda que que a atividade "não seja de propriedade, nem seja controlada, no todo, ou em parte, pelo governo de Cuba".

Esses produtos e serviços estarão submetidos "a barreiras alfandegárias, taxas e tarifas" para poderem ser importados para os Estados Unidos, explicou o Departamento de Estado, em um comunicado divulgado hoje.

A diplomacia americana também publicou uma nota relacionando os tipos de produtos que não estão incluídos na nova norma, como armas, munições, subprodutos animais e vegetais, entre outros.

"Todos os serviços oferecidos por empresários cubanos independentes poderão ser importados (...) desde que estejam em consonância com outras exigências das legislações federal e estaduais", completa a nota.

Em 15 de janeiro, Washington já havia anunciado um conjunto de modificações às regulações em vigor para facilitar as viagens e o comércio dos americanos com Cuba.

Washington e Havana surpreenderam o mundo em 17 de dezembro passado, ao anunciarem o processo de restabelecimento das relações diplomáticas.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias