Europa

Separatistas pró-Rússia exibem ''retirada de armas pesadas'' na Ucrânia

Os acordos assinados em 12 de fevereiro na capital de Belarus previam, entre outras coisas, a entrada em vigor de um cessar-fogo a partir de 15 de fevereiro, e a retirada das armas pesadas da frente, apenas 48 horas depois

Da AFP
Da AFP
Publicado em 25/02/2015 às 10:19
Foto: VASILY MAXIMOV / AFP
Os acordos assinados em 12 de fevereiro na capital de Belarus previam, entre outras coisas, a entrada em vigor de um cessar-fogo a partir de 15 de fevereiro, e a retirada das armas pesadas da frente, apenas 48 horas depois - FOTO: Foto: VASILY MAXIMOV / AFP
Leitura:

Os separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia exibiram nesta quarta-feira a vários jornalistas o que, segundo eles, é a prova de uma "retirada das armas pesadas": 14 canhões móveis de 122 mm que eram deslocados para uma posição afastada da frente de batalha. 

Na saída da localidade de Obilne, 20 km ao sul de Donetsk, os jornalistas observaram uma coluna de 14 canhões rebocados e vários caminhões procedentes do oeste, onde fica a frente de batalha, que seguiam por estrada para Starobeshevo, ao sul.

"Aplicamos os acordos de Minsk", declarou à AFP Nicolai, comandante de uma divisão de artilharia da autoproclamada república separatista de Donetsk.  

Os acordos assinados em 12 de fevereiro na capital de Belarus previam, entre outras coisas, a entrada em vigor de um cessar-fogo a partir de 15 de fevereiro, e a retirada das armas pesadas da frente, apenas 48 horas depois.

"Ontem (terça-feira), retiramos lança-foguetes Grad e anteontem, tanques", afirmou. 

"Nós seguimos a obrigação de retirar as armas pesadas, mas os ucranianos não", disse. 

O oficial separatista se negou a informar onde estavam instaladas as armas e para onde são levadas, alegando a necessidade de "sigilo militar". Ele afirmou apenas que estavam na frente de batalha e que se afastavam da região. 

Os observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa informaram que não têm condições de confirmar nenhuma retirada de armamento da frente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias