Anúncio

Tailândia arquiva caso de funcionário da OMS acusado de escravizar doméstica

A funcionária disse que conseguiu fugir ao ser resgatada na rua depois de tentar se suicidar

Da AFP
Da AFP
Publicado em 10/04/2015 às 17:17
Leitura:

A polícia tailandesa anunciou nesta sexta-feira (10) que arquivará caso contra um funcionário etíope da OMS acusado de escravizar sua empregada doméstica.

O representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Tailândia, o etíope Yonas Tegegn, sempre negou as acusações de escravidão feitas por uma ex-empregada contra ele e sua esposa.

A jovem de 25 anos, também etíope, apresentou uma denúncia contra seus empregadores, acusando-os de espancá-la e obrigá-la a trabalhar durante dois anos sem receber salário.

A funcionária disse que conseguiu fugir ao ser resgatada na rua depois de tentar se suicidar e foi ajudada por uma ONG local, segundo seu advogado.

A polícia descartou as acusações de maus-tratos, apesar de ordenar o pagamento dos salários devidos desde junho de 2013. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias