Resolução

Mediador da ONU está otimista sobre trégua humanitária no Iêmen

Segundo as Nações Unidas, mais de 21,1 milhões de iemenitas precisam de assistência humanitária

Da AFP
Da AFP
Publicado em 01/07/2015 às 22:25
Foto: FAYEZ NURELDINE / AFP
Segundo as Nações Unidas, mais de 21,1 milhões de iemenitas precisam de assistência humanitária - FOTO: Foto: FAYEZ NURELDINE / AFP
Leitura:

O enviado especial das Nações Unidas para o Iêmen, Ismail Ould Cheikh Ahmed, disse, nesta quarta-feira (1º), estar confiante no estabelecimento de uma trégua humanitária nas duas últimas semanas do Ramadã, o que permitirá entregar ajuda humanitária à população.

"Continuamos otimistas a respeito das nossas chances de alcançá-la", declarou Ahmed à AFP, em Riad, onde conversou durante dois dias com o governo iemenita no exílio.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, já havia pedido um cessar-fogo humanitário imediato de duas semanas no início do mês do Ramadã em 18 de junho.

"Conversamos com todas as partes", garantiu Ould Cheikh Ahmed, pouco depois de a ONU decretar o maior nível de urgência humanitária no Iêmen.

Segundo as Nações Unidas, mais de 21,1 milhões de iemenitas precisam de assistência humanitária, o que corresponde a cerca de 80% da população. Desses, 13 milhões sofrem escassez alimentar, e 9,4 milhões têm acesso limitado à água.

Em relação às negociações de paz, o enviado das Nações Unidas declarou à AFP que, até o momento, não há qualquer "plano imediato" para sua retomada, após seu fracasso no mês passado em Genebra.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias