Diplomacia

Obama cita Dilma ao dizer que era a hora de reabrir embaixada em Cuba

Obama confirmou a reabertura da embaixada em Havana em discurso na Casa Branca. As duas representações serão reinauguradas em 20 de julho, após 54 anos de rompimento diplomático

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 01/07/2015 às 14:36
Foto: State Department Public Domain
Obama confirmou a reabertura da embaixada em Havana em discurso na Casa Branca. As duas representações serão reinauguradas em 20 de julho, após 54 anos de rompimento diplomático - FOTO: Foto: State Department Public Domain
Leitura:

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, citou nesta quarta-feira (1º) a presidente Dilma Rousseff ao dizer que era o momento para que o governo americano retomasse relações com Cuba.

Obama confirmou a reabertura da embaixada em Havana em discurso na Casa Branca. As duas representações serão reinauguradas em 20 de julho, após 54 anos de rompimento diplomático.

Em seu discurso, o presidente americano considerou que as medidas tomadas pelos Estados Unidos contra Cuba nos últimos 50 anos não tiveram efeito e aumentaram o isolamento americano em relação à América Latina.

"Os passos que tomamos para garantir a democracia em Cuba não foram efetivos. Em vez de isolar Cuba em relação ao mundo, nos deixou isolados em relação aos nossos vizinhos no Hemisfério Ocidental", disse.

"Não devemos ficar aprisionados com o passado. Nós encontraremos nossas maneiras de cooperar com Cuba, apesar de nossas grandes diferenças."

Obama pressionou o Congresso, dominado pelos adversários republicanos, a aprovar o fim do embargo econômico e político a Cuba. Para ele, a liberação do comércio e do trânsito de pessoas levará os ideais democráticos à ilha.

"É tempo para que o Congresso faça o mesmo, para dar fim ao embargo. O engajamento dos americanos permitirá o avanço dos nossos ideais de democracia e direitos humanos em Cuba".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias