Conflito

Lula diz que paz é solução "mais barata" para Colômbia e Venezuela

O ex-presidente brasileiro defendeu ainda que seja a Unasul e não a OEA o organismo que deve mediar a crise entre os dois países

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 10/09/2015 às 19:22
Foto; Heinrich Aikawa/ Instituto Lula
O ex-presidente brasileiro defendeu ainda que seja a Unasul e não a OEA o organismo que deve mediar a crise entre os dois países - FOTO: Foto; Heinrich Aikawa/ Instituto Lula
Leitura:

Em visita à Argentina, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva pediu que os presidentes de Colômbia e Venezuela "se sentem para conversar" e afirmou que uma solução pacífica sairá mais barato para os dois países.


"Gostaria de fazer um apelo ao presidente [Nicolás] Maduro e ao presidente [Juan Manuel] Santos. A melhor solução para a Colômbia e Venezuela, ao invés de culpar os coitados dos pobres, é sentar os dois presidentes e tentarem encontrar uma solução amigável", afirmou Lula.

"São dois países muito importantes para o Mercosul e, se em tempos normais, a paz é bom, em tempos de crise econômica, a paz é muito melhor", disse. "O que a gente consegue conversando é muito mais barato do que aquilo que tentamos resolver guerreando".

Lula advogou que o sucesso da economia de um país depende da do outro e defendeu um acordo.

"Se eu posso ter o privilégio de gozar da amizade do Maduro e do companheiro Santos, eu peço que os dois sentem numa mesa, porque é isso que o povo espera de vocês."

O ex-presidente brasileiro defendeu ainda que seja a Unasul e não a OEA (Organização dos Estados Americanos) o organismo que deve mediar a crise entre os dois países.

A instituição foi criada em 2008 pelos presidentes do Brasil e da Venezuela (Hugo Chávez), Argentina (Néstor Kirchner), Equador (Rafael Correa), Bolívia (Evo Morales) e Uruguai (José Mujica).

Fazem parte do grupo também Paraguai, Colômbia, Chile, Peru, Suriname e Guiana. México e Panamá são observadores.

Já a OEA é formada por todos os 35 países americanos e sua sede fica em Washington, nos EUA.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias