GRÉCIA

Economia e migrantes são prioridade no novo governo de Tsipras na Grécia

O primeiro-ministro foi eleito no domingo (20)

Da AFP
Da AFP
Publicado em 22/09/2015 às 11:42
Foto: ARIS MESSINIS / AFP
O primeiro-ministro foi eleito no domingo (20) - FOTO: Foto: ARIS MESSINIS / AFP
Leitura:

O primeiro-ministro grego de esquerda, Alexis Tsipras, finalizava nesta terça-feira (22) a composição de seu novo governo de coalizão com a direita soberanista, cujas prioridades serão a recuperação econômica e a acolhida de migrantes.

Após sua vitória nas legislativas de domingo, o novo primeiro-ministro "anunciará provavelmente na manhã de quarta-feira (23) a composição de seu novo governo", indicou à AFP o porta-voz do governo, Rodolphos Moronis.

O novo governo será provavelmente muito similar ao anterior e serão mantidos os postos chaves, como o do ministério das Finanças, indicou o próprio Tsipras.

A rapidez em formar um novo governo, que segundo o ex-ministro do Interior Nikos Voutsis pode ser anunciado ainda nesta terça-feira, revela a vontade de Tsipras de dar uma imagem de continuidade e de cooperação rápida com seus sócios europeus.

Seu principal objetivo é começar a aplicar rapidamente as dolorosas medidas de ajuste dos credores da Grécia (UE e FMI) em troca de um novo plano de resgate. O primeiro-ministro também quer começar o quanto antes as negociações para reduzir a enorme dívida do país.

Dentro da Grécia, Tsipras quer lançar uma ampla ofensiva contra corrupção e o clientelismo e colocar em andamento um sistema eficaz para lidar com os milhares de migrantes que estão chegando nas últimas semanas à Grécia, porta de entrada da União Europeia.

A imprensa pressupõe que o ministro das Finanças continuará sendo Euclides Tsakalotos, apreciado por seus pares da zona do euro após semanas de intensas negociações sobre o novo resgate.

Georges Houliarakis, outro dos artífices do acordo que garante à Grécia um novo empréstimo de 86 bilhões de euros em troca de reformas e medidas de economia, pode ser nomeado ministro, enquanto Georges Stathakis conservaria sua pasta de economia.

Panos Kammenos, do partido Gregos Independentes, o partido da direita soberanista aliado de Tsipras na coalizão, conservaria, por sua vez, a pasta da Defesa.

Últimas notícias