FRANÇA

Promotores afirmam que terrorista de Nice era fascinado por Estado Islâmico

Apesar disso, François Molins, o promotor-chefe que está supervisionando a investigação, afirmou que a polícia ainda não encontrou nenhuma evidência de que existia uma "aliança"

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 18/07/2016 às 13:59
Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT / AFP
Apesar disso, François Molins, o promotor-chefe que está supervisionando a investigação, afirmou que a polícia ainda não encontrou nenhuma evidência de que existia uma "aliança" - FOTO: Foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT / AFP
Leitura:

Interrogatórios e dados recuperados do celular e do computador de Mohamed Lahouaiej Bouhlel, o homem que dirigia o caminhão durante o atentado em Nice, na semana passada, mostram que ele era fascinado pelo grupo extremista Estado Islâmico e que planejou o atentado dessa quinta-feira (14).

Apesar disso, François Molins, o promotor-chefe que está supervisionando a investigação, afirmou que a polícia ainda não encontrou nenhuma evidência de que existia uma "aliança" entre ele o grupo baseado na Síria e no Iraque. Entre os materiais encontrados nos aparelhos de Bouhlel, estavam imagens de militantes envoltos na bandeira do Estado Islâmico, corpos e fotos de Osama Bin Laden e e Mokhtar Belmokhtar, o líder do grupo Murabitun, aliado à Al-Qaeda. 

 

Um dos interrogados pela polícia, afirmou Molins, disse que viu o franco-tunisiano ostentar uma grande oito dias antes do ataque, ele que ele afirmou que ela tinha "significado religioso "

Segundo a mesma pessoa, Bouhlel também disse não entender "por quê o Estado Islâmico não poderia ter seu próprio território."


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias