ORIENTE MÉDIO

Defesa antiaérea síria atira contra 'alvos inimigos' perto de Damasco

Caso seja confirmado o envolvimento de Israel nos bombardeios desta terça-feira (25), será o primeiro ataque israelense após o anúncio da retirada das tropas americanas da Síria

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 25/12/2018 às 21:06
Foto: AFP
Caso seja confirmado o envolvimento de Israel nos bombardeios desta terça-feira (25), será o primeiro ataque israelense após o anúncio da retirada das tropas americanas da Síria - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Os sistemas de defesa aérea sírios dispararam nesta terça-feira (25) contra "alvos inimigos" perto de Damasco, reportaram a agência oficial Sana e uma ONG.

A rede de TV estatal síria também mencionou um fato similar, mas nenhum destes dois veículos reportou quais foram estes "alvos inimigos". 

Após o início da guerra na Síria, em 2011, o Exército israelense fez vários bombardeios contra instalações militares do regime sírio ou seus aliados, como o Irã ou o grupo xiita libanês Hezbollah, dois dos principais inimigos de Israel.

Segundo a agência Sana, "um certo número de alvos inimigos foram abatidos" pelas defesas antiaéreas sírias.

"Trata-se de um bombardeio israelense", explicou à AFP o diretor do Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahman.

"Houve disparos de mísseis realizados por aviões israelenses contra três objetivos", afirmou Abdel Rahman, destacando que se tratavam de depósitos de armas no sul e no sudoeste da capital, Damasco.

Os alvos se encontram nos setores de Dimas, Kesswa e Jamraya, regiões a oeste e a sudoeste de Damasco, onde já foram registrados bombardeios israelenses no passado.

A agência oficial explicou que a agressão tinha sido realizada a partir do espaço aéreo libanês, país vizinho a Síria e Israel.

Contatado pela AFP, um porta-voz do Exército israelense não quis fazer comentários.

No entanto, o Exército de Israel informou, em um comunicado, que "um sistema de defesa aéreo foi utilizado contra um míssil lançado da Síria".

Neste comunicado, informou que "não houve nenhuma vítima", segundo a informação aportada.

Se confirmado o envolvimento de Israel nos bombardeios desta terça-feira, seria o primeiro ataque israelense após o anúncio da retirada das tropas americanas da Síria, feito na semana passada pelo presidente americano, Donald Trump.

De acordo com especialistas, Israel é um dos principais prejudicados na decisão de Trump, já que esta permitiria ao regime sírio e ao Irã consolidar suas posições militares na Síria, um país fronteiriço com Israel.

Exército russo

Em setembro, um caça do exército russo, aliado de Damasco, foi derrubado acidentalmente pelas defesas antiaéreas sírias, que intervieram para impedir um bombardeio israelense.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias