Mercado FInanceiro

Dólar fecha em alta de 0,59% com expectativa de aumento de juros nos EUA

O PIB americano foi revisado de uma alta de 0,5% para 0,8%, abaixo da previsão, de 1%

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 27/05/2016 às 18:47
Foto: Marcos Santos/ USP Imagens
O PIB americano foi revisado de uma alta de 0,5% para 0,8%, abaixo da previsão, de 1% - FOTO: Foto: Marcos Santos/ USP Imagens
Leitura:

O discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, deu o tom dos negócios no mercado brasileiro de câmbio e o dólar fechou cotado a R$ 3,6106, em alta de 0,59%, nesta sexta-feira (27). A expectativa de que a chefe do BC norte-americano indicasse pistas para o futuro da política monetária local manteve o dólar em alta pela manhã. 

No período da tarde, o viés de alta se confirmou após Yellen dizer que, se a economia dos Estados Unidos continuar a melhorar, será apropriado elevar os juros cautelosamente.

O dólar abriu cotado a R$ 3,6030 no mercado à vista (+0,38%), acompanhando a valorização predominante da moeda americana frente a outras divisas pelo mundo. A cotação renovou sucessivas máximas e chegou R$ 3,6282 (+1,08%), às 10h18, depois que os EUA divulgaram a segunda prévia do PIB do primeiro trimestre. 

O PIB americano foi revisado de uma alta de 0,5% para 0,8%, abaixo da previsão, de 1%. Apesar de ter ficado aquém das estimativas, a confirmação de que a economia americana está em aceleração aumentou a expectativa pela fala de Yellen, iniciada às 14h15.

A proximidade da virada do mês, quando é feita a liquidação e rolagem de contratos do mercado futuro, contribuiu em parte para a alta do dólar pela manhã, relataram operadores. Passado o período de formação da ptax (cotação que serve de referência para os contratos), as cotações desaceleraram a alta com que vinham operando e chegaram a renovar mínimas, com o dólar à vista na casa dos R$ 3,59. 

Após Yellen falar, a divisa voltou ao patamar dos R$ 3,61, no permaneceu até o fechamento.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias