MOEDA

Disney enterra seu dólar temático

Os dólares, que carregam a imagem de personagens e assinados pelo tesoureiro Tio Patinhas, podiam ser usados como moeda nos parques da Disney

AFP
AFP
Publicado em 26/05/2016 às 8:16
Foto: Reprodução
Os dólares, que carregam a imagem de personagens e assinados pelo tesoureiro Tio Patinhas, podiam ser usados como moeda nos parques da Disney - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

Os estúdios Disney anunciaram na quarta-feira (25) que vão parar de imprimir e vender seus próprios dólares, usados como meio de pagamento em suas áreas de lazer, desencadeando um frenesi de compra entre os colecionadores.

Os bilhetes, que carregam a imagem de personagens e assinados pelo tesoureiro Tio Patinhas, podiam ser usados como moeda nos parques da Disney desde o seu lançamento, há quase 30 anos.

Mickey Mouse aparecia na nota de um dólar e Minnie na de 10 dólares, enquanto muitos outros heróis do cinema, como Cinderela, Dumbo e A Bela Adormecida também eram representados.

A decisão foi tomada por causa da crescente popularidade do sistema de cartão-presente da empresa, explicou Suzi Brown, porta-voz do parque Disneyland, localizado em Anaheim, Califórnia (oeste), que disse que os bilhetes deixaram de ser impressos em 14 de maio.

As notas ainda em circulação poderão ser utilizadas sem data de expiração, assegurou à AFP.

O dinheiro fictício pode ser gasto nos parques temáticos, resorts, hotéis, restaurantes e lojas da gigante do entretenimento americano.

Já cobiçadas por colecionadores, essas notas devem ver o seu valor subir acentuadamente após o anúncio.

Centenas de ofertas para várias versões do dólar já variavam de cerca de US$ 10 a mais de US$ 50 no eBay.

A nota de US$ 50 lançada por ocasião do 50º aniversário da Disneyland em 2005 é anunciada a quase US$ 3.800, enquanto um vendedor pedia US$ 15.000 para 54 notas de um dólar.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias