Reforma da Previdência

Maia diz que Bolsonaro precisa de mais tempo para Previdência e menos para Twitter

Segundo o presidente da Câmara Federal, se o presidente não se dedicar mais, a reforma não andará

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 23/03/2019 às 10:03
Foto: Câmara dos Deputados
Segundo o presidente da Câmara Federal, se o presidente não se dedicar mais, a reforma não andará - Foto: Câmara dos Deputados
Leitura:

Em entrevista ao Jornal Nacional na última sexta-feira (22), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), pediu que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) tenha mais tempo para articular a reforma da Previdência e menos para o Twitter. "Ele (Bolsonaro) precisa ter um engajamento maior. Ele precisa ter mais tempo pra cuidar da Previdência e menos tempo cuidando do Twitter, porque, se não, a reforma não vai andar", cravou Maia. 

Na entrevista, o presidente da Câmara Federal ainda que continuará tocando na Casa a reforma. "O meu papel eu vou continuar cumprindo, coordenando dentro da Câmara a aprovação da reforma e colocando de forma clara na figura do presidente da República a responsabilidade dele de conduzir, por parte do governo, a aprovação da reforma", completou. 

Entretanto, ao jornal O Globo, Rodrigo Maia afirmou que a responsabilidade "daqui para frente" sobre a articulação para aprovar a reforma é do Governo Federal. Bolsonaro, por sua vez, afirmou, no Chile, não ter dado motivo para Maia deixar a articulação da reforma da Previdência.

'Não dei motivo'

Diante da ameaça do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de deixar a articulação política da reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nessa sexta-feira (22) que não deu motivo para o parlamentar tomar essa atitude e que está aberto para conversar. "Quero saber o motivo pelo qual ele está saindo", disse Bolsonaro, após deixar o Palácio de La Moneda, sede do governo chileno. "Estou sempre aberto ao diálogo. Estou fora do Brasil. Quero saber o motivo, só isso e mais nada. Eu não dei motivo para ele sair", afirmou.

O presidente disse que a declaração de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), com críticas a Maia por adiar a tramitação do projeto anticrime, não é motivo para ele ameaçar sair da articulação política. "Se foi esse o motivo, eu lamento, mas isso não é motivo." Ele afirmou que "todo o Brasil está indignado" com a demora na votação do projeto anticrime.

Bolsonaro disse ainda que é "só conversando" que será possível trazer Maia de volta. "Você nunca teve uma namorada e, quando ela quis ir embora, o que você fez? Não pediu para ela voltar? Você não conversou?", comparou. Ontem, o presidente parece ter escalado seu staff para tratar ontem do assunto.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias