REFORMA

Bolsonaro diz que maioria está convencida da necessidade de aprovar Previdência

Declaração foi feita durante entrevista do presidente ao programa do Silvio Santos, do SBT

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 06/05/2019 às 8:15
Notícia
Foto: Secom/Palácio do Planalto
Declaração foi feita durante entrevista do presidente ao programa do Silvio Santos, do SBT - FOTO: Foto: Secom/Palácio do Planalto
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa da reforma da Previdência em entrevista ao programa do Silvio Santos, do SBT, transmitida nesse domingo (5). Ao comentar sobre a proposta, Bolsonaro buscou destacar que os principais objetivos são "ajudar os pobres" e garantir a sustentabilidade do sistema previdenciário para que futuras gerações tenham suas aposentadorias garantidas. "Deixo bem claro que essa reforma é para ajudar os pobres, é exatamente o contrário do que alguns políticos de esquerda vem falando", declarou.

Na entrevista, Bolsonaro não chegou a abordar detalhes técnicos da reforma previdenciária ou pontos considerados polêmicos, como a aposentadoria rural e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Sobre a tramitação do texto no Congresso, o presidente disse apenas que a maioria dos parlamentares já está "convencida" da necessidade de se aprovar a reforma, embora isso possa gerar "desgate político" a alguns setores.

A pauta da Previdência também foi exaltada pelo próprio Silvio Santos, que comentou diversas vezes na conversa com o presidente que a manutenção das regras atuais levaria a um quadro inflacionário no País. "Se o governo não puder pagar os aposentados, ele não vai deixar esse pessoal. Ele vai fazer dinheiro. Fazendo dinheiro, vai começar inflação", disse o apresentador do SBT.

Em outros momentos, quando Bolsonaro tentou mudar de assunto, Silvio Santos retomou o tema da reforma previdenciária, salientando que ela é mais importante do que outras medidas do governo.

MP da Liberdade Econômica

Durante a entrevista, Bolsonaro falou ainda brevemente sobre outras iniciativas de sua gestão, como a recém-assinada "MP da Liberdade Econômica" e as mudanças que ainda serão propostas para a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O presidente ponderou, entretanto, que o "excesso de medidas provisórias atrapalha o poder Legislativo". Nesse sentido, ele reiterou que tem conversado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para ter o "sinal verde" para as propostas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias