Assista

Em vídeo, ministro da Educação brinca com guarda-chuva e critica fake news

No vídeo, Abraham Weintraub critica reportagens sobre as obras paralisadas no Museu Nacional, que incendiou no ano passado

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 30/05/2019 às 11:47
Notícia
Foto: reprodução/Twitter
No vídeo, Abraham Weintraub critica reportagens sobre as obras paralisadas no Museu Nacional, que incendiou no ano passado - FOTO: Foto: reprodução/Twitter
Leitura:

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou nesta quinta-feira (30), de maneira jocosa, um vídeo em que critica a 'chuva de fake news'. Segundo ele, um veículo de comunicação estaria querendo prejudicar a imagem do Ministério da Educação (MEC), quando divulga que paralisação das obras no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, seria culpa do Ministério. 

"Mais uma vez, um veículo de comunicação, das pessoas que estão de mal com a vida, tenta macular a imagem do MEC. Essa última fake news fresquinha para você, alega que a paralisação da recuperação do Museu Nacional, aquele que o reitor da Universidade do Rio de Janeiro não conseguiu explicar que essas obras estariam sendo paralisadas pelo MEC. Fake news", disse o ministro. 

 

 

Ainda no vídeo, Abraham Weintraub alfineta o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Diz que o gestor ainda não apresentou justificativas sobre o incêndio que atingiu o museu em setembro de 2018 e nem um planejamento para a revitalização.

O ministro também disse que os recursos para revitalização eram provenientes de emendas parlamentares, feitas pela bancada federal do Rio de Janeiro, sem relações com o MEC.

UFRJ

Sobre o bloqueio a UFRJ, afirmou por meio de uma nota divulgada nessa quarta-feira (29), que houve um bloqueio sobre o valor da revitalização na mesma data em que o MEC fez o bloqueio do orçamento na universidade. Confira a resposta:

“Logo após o incêndio que destruiu o Museu Nacional, a Reitoria da UFRJ recebeu a solidariedade da bancada federal do Rio de Janeiro e, em reunião realizada no dia 4/9/2018, dois dias após o ocorrido, coordenada pelo presidente da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Maia, conseguiu o apoio e o compromisso da bancada com a emissão de emenda impositiva na casa dos R$ 55 milhões.

Contudo, em 2019, a UFRJ foi surpreendida com um bloqueio no valor de R$ 11.896.500,00 sobre a emenda da bancada do Rio de Janeiro, ocorrido no dia 30/4/2019, mesma data em que sofreu o bloqueio do orçamento discricionário.

É importante registrar, também, que sobre o valor de R$ 43.103.500,00 ainda não se obteve a liberação da cota de limite de empenho para a devida execução da emenda. A UFRJ, por meio da Direção do Museu Nacional e do Escritório Técnico da Universidade, vem trabalhando na preparação do projeto e do planejamento para o uso desses recursos”.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias