LAVA JATO

Deputados madrugam na fila para audiência de Sergio Moro na Câmara

O ministro da Justiça e Segurança Pública vai ser ouvido na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (2)

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 02/07/2019 às 12:11
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro da Justiça e Segurança Pública vai ser ouvido na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (2) - FOTO: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, vai ser ouvido nesta terça-feira, 2, por quatro comissões da Câmara dos Deputados sobre as supostas conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil no período em que ele ainda julgava os casos da Operação Lava Jato. Parlamentares tanto da oposição quanto da situação madrugaram na porta do Plenário para garantir o nome entre os primeiros a questionar Moro.

O ministro será ouvido por deputados de quatro colegiados: Constituição e Justiça, Trabalho, Direitos Humanos e Fiscalização Financeira e Controle. O ex-juiz havia marcado o depoimento para a última quarta-feira, mas declinou da audiência justificando ter uma viagem marcada para os Estados Unidos. Por uma questão de agenda, as sessões foram marcadas conjuntamente.

O primeiro a chegar foi o Coronel Armando (PSL-SC) que está na fila desde as 8h10, quase seis horas antes do início da audiência previsto para as 14h. Entre os oposicionistas, a primeira parlamentar a garantir o seu lugar foi Maria do Rosário (PT-RS), que chegou um pouco depois do deputado do PSL.

Acusação

O vazamento de mensagens atribuídas a Moro sugere que o ministro teria agido em conjunto com o Ministério Público Federal em processos da Operação Lava Jato. Moro e a força tarefa da Lava Jato negam.

É a segunda vez em 15 dias que o ministro comparece ao Congresso Nacional. Na última vez, falou a senadores no dia 19 de junho, em uma audiência na CCJ do Senado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias