PRONUNCIAMENTO

Em casa, Vaccari critica Moro e diz que 'cumpriu a vontade do partido'

João Vaccari, agora, cumpre sua pena em casa, com uso de tornozeleira eletrônica

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 06/09/2019 às 20:45
Notícia
Foto: José Cruz/Agência Brasil
João Vaccari, agora, cumpre sua pena em casa, com uso de tornozeleira eletrônica - FOTO: Foto: José Cruz/Agência Brasil
Leitura:

Em seu primeiro pronunciamento após sair da prisão, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, criticou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que quando juiz o condenou nas ações da operação Lava Jato. Vaccari afirmou que "respeitou a lei" e "acima de tudo" cumpriu a vontade do partido.

Discurso de Vaccari

"Quero agradecer ao apoio que eu tive de toda a militância do PT nesses quatro anos e quatro meses os quais eu estive preso por injustiça do juiz Sergio Moro. Quero deixar também um abraço forte a todos os nossos militantes que estão enfrentando o dia a dia e a guerra implementada contra nós. E um forte abraço a todos os companheiros do diretório nacional que nesse período nos apoiou a mim e a minha família sem nenhuma dúvida de que o que nós fizemos foi respeitar a lei e, acima de tudo, cumprir a vontade do partido. E também a vontade política da sociedade brasileira", afirmou Vaccari em vídeo divulgada nas redes sociais de deputados petistas.

Nesta sexta-feira (06), a Justiça do Paraná determinou que o petista passasse a cumprir pena em casa, com uso de tornozeleira eletrônica. A decisão ocorre após Vaccari ser beneficiado pelo indulto natalino assinado pelo então presidente Michel Temer, em 2017.

O ex-tesoureiro é apontado pela força-tarefa da operação Lava Jato como o principal operador de propinas do PT no esquema de corrupção da Petrobras. Ele foi condenado em cinco ações penais por Moro, mas acabou absolvido em duas delas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias