LITERATURA

No Twitter, Lula expõe seus 'fatos literários' e diz que leu mais de 40 livros na prisão

Ex-presidente participou da corrente '5 fatos literários sobre mim' que os usuários da rede social estão fazendo

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 14/01/2020 às 17:59
Notícia
Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas
Ex-presidente participou da corrente '5 fatos literários sobre mim' que os usuários da rede social estão fazendo - FOTO: Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas
Leitura:

Nos 580 dias em que esteve preso na carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse ter lido mais de 40 livros. O petista revelou a curiosidade no Twitter, nesta terça-feira (8), ao participar da corrente '5 fatos literários sobre mim' que os usuários da rede social estão fazendo.

Em uma das publicações, o ex-presidente afirmou que é fascinado por biografias e aguarda o lançamento da sua, feita escritor Fernando Morais, para este ano.

Os livros que Lula leu na prisão

No Twitter, Lula disse que 'O Amor nos Tempos do Cólera', de Gabriel García Márquez, 'A Elite do Atraso', de Jessé Souza, 'A Fome', de Martín Caparrós, 'O Petróleo', de Daniel Yergin, 'Sapiens', de Yuval Harari, e 'Escravidão', de Laurentino Gomes foram seus livros preferidos no período de prisão. Leia abaixo as sinopses de alguns dos livros que o ex-presidente informou ter lido na prisão.

'O Amor nos Tempos do Cólera' - Gabriel García Márquez

Sinopse da editora: ainda muito jovem, o telegrafista, violinista e poeta Gabriel Elígio Garciá se apaixonou por Luiza Márquez, mas o romance enfrentou a oposição do pai da moça, coronel Nicolas, que tentou impedir o casamento enviando a filha ao interior numa viagem de um ano. Para manter seu amor, Gabriel montou, com a ajuda de amigos telegrafistas, uma rede de comunicação que alcançava Luiza onde ela estivesse. Essa é a história real dos pais de Gabriel García Márquez e foi ponto de partida de 'O amor nos tempos do cólera', que acompanha a paixão do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza.

'Quem Manda no Mundo?' - Noam Chomsky

Sinopse da editora: Chomsky oferece neste livro um aprofundado exame das mudanças do poder norte-americano, as ameaças à democracia e o futuro da ordem global. Meticulosamente documentado, 'Quem manda no mundo?' é um guia indispensável para entender a situação internacional atual. Com clareza e oferecendo diversos exemplos, Chomsky mostra como os Estados Unidos continuam sendo a voz mais forte, mesmo com a ascensão da Europa e da Ásia. O envolvimento americano com China e Cuba, as sanções contra o Irã, os conflitos no Iraque, Afeganistão e Israel/Palestina, a relação com a América Latina e África e o aquecimento global são alguns dos pontos discutidos.

'Belchior – Apenas Um Rapaz Latino-Americano' - Jotabê Medeiros

Sinopse da editora: a morte de Belchior, em abril de 2017, foi uma comoção nacional. Dez anos antes, o artista desaparecera. Foi quando Jotabê Medeiros iniciou a pesquisa para um livro sobre o autor de clássicos como 'Velha Roupa Colorida', 'Alucinação' e 'Como nossos pais'. Foram dezenas de entrevistas com parceiros musicais, amigos de infância, familiares e produtores de seus discos. O livro traz períodos pouco conhecidos de sua vida, como os anos que passou em um mosteiro, na adolescência. Foi ali que o artista teve seu primeiro contato com literatura e filosofia e habituou-se ao silêncio e à introspecção, características marcantes até o fim da vida.

'Um Defeito de Cor' - Ana Maria Goncalves

Sinopse da editora: fascinante história de uma africana idosa, cega e à beira da morte, que viaja da África para o Brasil em busca do filho perdido há décadas. Ao longo da travessia, ela vai contando sua vida, marcada por mortes, estupros, violência e escravidão. Inserido em um contexto histórico importante na formação do povo brasileiro e narrado de uma maneira original e pungente, na qual os fatos históricos estão imersos no cotidiano e na vida dos personagens.

'A Elite do Atraso – Da Escravidão à Lava Jato' - Jessé Souza

Sinopse no site do autor: por meio de uma linguagem fluente, irônica e ousada, Jessé apresenta uma nova visão sobre as causas da desigualdade que marca nosso País e reescreve a história da nossa sociedade. Mas não a do patrimonialismo, nossa suposta herança de corrupção trazida pelos portugueses, tese utilizada tanto à esquerda quanto à direita para explicar o Brasil. Muito menos a do brasileiro cordial, ambíguo e sentimental.

'Escravidão - do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares' - Laurentino Gomes

Sinopse da editora: maior território escravista do hemisfério ocidental, o Brasil recebeu cerca de 5 milhões de cativos africanos, 40% do total de 12,5 milhões embarcados para a América ao longo de três séculos e meio. Como resultado, o país tem hoje a maior população negra do planeta, com exceção apenas da Nigéria.  Nenhum outro assunto é tão importante e tão definidor da nossa identidade nacional quanto a escravidão. Conhecê-lo ajuda a explicar o que fomos no passado, o que somos hoje e também o que seremos daqui para a frente.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias