Pesar

Irmão de Eduardo escreve carta aberta e declara apoio a Marina Silva

Na carta, Antônio Campos fala do local do enterro e exalta o seu avô Miguel Arraes

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 14/08/2014 às 15:11
Foto: Mariana Dantas/NE10
Na carta, Antônio Campos fala do local do enterro e exalta o seu avô Miguel Arraes - FOTO: Foto: Mariana Dantas/NE10
Leitura:

O único irmão de Eduardo Campos, o advogado e escritor Antônio Campos, escreveu uma carta aberta exaltando a força do seu irmão como pessoa e político e defendeu a candidatura de Mariana Silva à presidência da República. No texto, Antônio também cita o seu avô, Miguel Arraes que foi preso e exilado, mas não deixou se abalar na sua carreira política.

Em dos trechos, cita que Eduardo Campos seguiu o empenho de seu avô e dos seus ideiais. " O mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e de correr o risco para viver os seus sonhos pessoais e coletivos."

Ainda na carta, explica que Eduardo Campos e Arraes "serão enterrados no mesmo túmulo". O enterro será no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. No lápide uma frase do poeta Carlos Drummond: “ tenho duas mãos e o sentimento do mundo”. Confira a carta completa: 

“NÃO VAMOS DESISTIR DO BRASIL”

A minha perda afetiva do único irmão é imensa, mas é grande a perda do líder Eduardo Campos, politico de talento e firmeza de propósitos.

A nossa família tem mais de 60 anos de lutas políticas em defesa das causas populares e democráticas do Brasil. O meu avô Miguel Arraes foi preso e exilado, não se curvando à ditadura militar. Eduardo Campos continuou o seu legado com firmeza de propósitos, tendo trazido uma nova era de desenvolvimento para Pernambuco. Desde 2013 vinha fazendo o debate dos problemas e do momento de crise por que passa o Brasil, querendo fazer uma discussão elevada sobre nosso país. Faleceu em plena campanha presidencial, lutando pelos seus ideais e pelo que acreditava.

O mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e de correr o risco para viver os seus sonhos pessoais e coletivos. Ambos faleceram, no dia 13 de agosto, e serão plantados no mesmo túmulo, no Cemitério de Santo Amaro, em Recife, túmulo simples, onde consta uma lápide com a frase do poeta Carlos Drummond: “ tenho duas mãos e o sentimento do mundo”. Essas sementes de esperança e de resistência devem inspirar uma reflexão sobre o Brasil, nesse momento, para mudar e melhorar esse país, que enfrenta uma grave crise, sendo a principal dela a crise de valores. Não vamos cultivar as cinzas desses dois grandes líderes, mas a chama imortal dos ideais que os motivava.

Como filiado ao PSB, membro do Diretório Nacional com direito a voto, neto mais velho vivo de Miguel Arraes, presidente do Instituto Miguel Arraes – IMA e único irmão de Eduardo, que sempre o acompanhou em sua trajetória, externo a minha posição pessoal que Marina Silva deve encabeçar a chapa presidencial da coligação Unidos Pelo Brasil liderada pelo PSB, devendo a coligação, após debate democrático, escolher o seu nome e um vice que una a coligação e some ao debate que o Brasil precisa fazer nesse difícil momento, em busca de dias melhores. Tenho convicção que essa seria a vontade de Eduardo.

Agradeço, em nome da minha família enlutada, as mensagens do povo brasileiro e de outras nacionalidades.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias