eleições 2016

Geraldo e João Paulo reforçam discursos no último debate do Recife

No debate da Globo, Geraldo Julio (PSB) e João Paulo (PT) reproduziram tônica da reta final da campanha

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 28/10/2016 às 23:50
Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem
No debate da Globo, Geraldo Julio (PSB) e João Paulo (PT) reproduziram tônica da reta final da campanha - FOTO: Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem
Leitura:

Na última oportunidade para tentar reverter votos e convencer eleitores indecisos, os candidatos à Prefeitura do Recife buscaram reforçar os discursos de campanha durante o debate da Rede Globo, no final da noite desta sexta-feira (28). Frente a frente pela última vez antes da votação de amanhã, Geraldo Julio (PSB) e João Paulo (PT) reproduziram a tônica dos últimos dias de campanha e até dos últimos debates, como o da TV Jornal, um dia antes.

Falando direto para a câmera para tentar se conectar aos telespectadores, Geraldo Julio preferiu se apresentar como o candidato do “futuro”, palavra repetida inúmeras vezes ao longo do embate. Ainda tentando despertar o forte antipetismo manifestado nessa eleição, o prefeito fez questão de se referir ao opositor como o “candidato do PT” e relembrar sempre que possível os 12 anos de gestão de João Paulo e de João da Costa (PT).

Da sua parte, João Paulo se esforçou para tentar desconstruir a imagem da gestão socialista, tratando várias vezes o adversário como um “vendedor de ilusão” e repisando que as declarações do gestor não representariam a “verdade” dos serviços públicos do Recife. Disposto a tentar colar uma pecha no atual prefeito, o petista afirmou seguidamente que ele era um “ingrato” e, em dado momento, disse que ele parecia um “robozinho” nas respostas.

Ao longo do debate, alguns temas temas permaneceram no foco dos dois candidatos, como a situação da saúde, principalmente o Hospital da Mulher e a promessa socialista de construção do Hospital do Idoso; as obras e ações no morro; e a gestão da máquina municipal.

Procurando por fraquezas, muitas vezes Geraldo perguntava qual era a real opinião do petista sobre programas ou propostas do PSB. Disparando contra a atual administração, João Paulo questionava o socialista porque as crianças ou servidores estavam “sofrendo” no atual governo.

ACENOS

No final do debate, o atual prefeito fez um aceno à oposição ao afirmar que quer juntar todos aqueles que querem ajudar o Recife e citar nominalmente João Paulo, além de Daniel Coelho (PSDB) e Priscila Krause (DEM), que disputaram o primeiro turno. Os dois candidatos preferiram permanecer neutro na segunda etapa da disputa e os partidos, embora tenham declarado apoio ao socialista, não se engajaram na disputa.

Já João Paulo, que em alguns momentos se mostrou menos focado, concluiu o debate com uma crítica ao atual gestor, acusado de “tentar vender a cidade como um paraíso”. “Qualquer um de vocês queria morar na propaganda dele, nessa cidade ilusória, fictícia, que não existe aqui no Recife”, ironizou o petista.

Últimas notícias