Entrevista

Paulo Câmara admite que não deve dobrar salário de professores

Em entrevista à Rádio Jornal, o socialista afirmou que mesmo que o aumento não aconteça, o setor conta com importantes avanços

Editoria de Política
Editoria de Política
Publicado em 19/12/2016 às 11:54
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
FOTO: Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Leitura:

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), admitiu que provavelmente não deve conseguir cumprir uma de suas principais promessas de campanha: dobrar o salário dos professores. A promessa tinha sido feita em 2014, para dobrar os vencimentos dos docentes do Estado até o fim do seu mandato, em 2018. Em entrevista na Rádio Jornal, o socialista afirmou que mesmo que o aumento não aconteça, o setor conta com importantes avanços. 

 “Ao final dos quatro anos talvez não dê para duplicar o salário, mas a gente vai ter avanços importantes nessa área. O salário dos professores em aumentado todo ano e estamos vendo formas de premiar aquelas escolas que tenham atingindo as metas. Os professores devem ganhar mais nessas escolas, porque temos que valorizar o mérito, o esforço”, argumentou.

Apesar de não afirmar se o aumento dos professores é uma pauta prioritária nesta reta final, o governador disse que a educação é prioridade de seu governo, citando pesquisa que atribui à Pernambuco o título de melhor educação em escolas públicas do Brasil.

Em setembro, um levantamento do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), mostrou que Pernambuco, que antes ocupava o quarto lugar na lista, passou à 1ª colocação junto com o estado de São Paulo passando a ter a melhor educação pública do Brasil. 

>> Governador enfrenta obstáculos para cumprir promessas de campanha

Paulo Câmara informou ainda que o governo fará, no início de 2017, por meio do Todos Por Pernambuco, a avaliação e revalidação, em todas as regiões do Estado, dos compromissos que constam do programa de governo exatamente para estudar o que dá pra fazer entre as prioridades definidas. 

Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
- Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Geraldo Freire, Giovanni Sandes e Laurindo Ferreira participaram da entrevista - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Câmara falou sobre a situação da segurança em Pernambuco - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
- Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
"Não vou deixar Pernambuco afundar", disse o governador - Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
- Foto: Ashlley Melo/JC Imagem

Outras promessas

Para Paulo Câmara, a crise foi mais severa do que se esperava e Pernambuco só consegue caminhar neste momento graças ao ajuste fiscal desenvolvido pelo seu governo. De acordo com ele, hoje, em fato inédito, Pernambuco amarga crescimentos de arrecadação inferiores à inflação. “Em 2014 fizemos um plano de governo que foi aprovado pela sociedade. É só olhar o que eu prometi! Todas as medidas são importantes e necessárias para Pernambuco. Mas enfrentamos um cenário que nem o mais pessimista dos analistas diria”, disse. 

O Jornal do Commercio publicou uma matéria, no último dia 18, mostrando as principais promessas de campanha do governador Paulo Câmara para os quatro anos de mandato. Entre as principais estavam a construção de quatro hospitais, seis UPAEs e 20 Compaz e a implantação de um corredor BRT na Avenida Norte, no centro do Recife. Além disso, havia a implantação do programa Doutor Chegou, a duplicação do piso do salário dos professores e a implantação da tarifa única no valor de R$ 2,15 e que finalizaria os corredores Norte-Sul e Leste-Oeste.

Confira entrevista completa:

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias