DÍVIDA

Casa de Farinha suspende o fornecimento de merenda em 15 escolas de PE

A empresa Casa de Farinha alega falta de pagamento por parte do Governo de Pernambuco de notas fiscais que chegam até seis meses de atraso

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 05/12/2018 às 13:14
Foto: Reprodução/TV Jornal
A empresa Casa de Farinha alega falta de pagamento por parte do Governo de Pernambuco de notas fiscais que chegam até seis meses de atraso - FOTO: Foto: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

A Casa de Farinha S.A., responsável pelo fornecimento de merenda para escolas estaduais de Pernambuco, suspendeu o fornecimento de alimentos em 15 escolas estaduais de 10 diferentes cidades do Estado. Segundo a empresa, a suspensão se deu pelo atraso no pagamento que fica a cargo da Secretaria de Educação estadual.

De acordo com a Casa de Farinha, a falta de pagamento é referente a notas ficais de até seis meses. A paralisação acontece desde a última segunda-feira (3). Ao JC, a fornecedora informou que vai restabelecer o serviço a partir desta quinta-feira (6), pois recebeu uma nova promessa da Secretaria de Educação de que o pagamento será realizado nos próximos dias. 

>> Estado faz parte do pagamento e Casa de Farinha segue fornecendo merenda

À Rádio Jornal, alunos da Escola de Referência Olinto Victor, na Várzea, Zona Oeste do Recife, afirmaram que estão sem aulas em horário integral na unidade desde segunda-feira. De acordo com os estudantes, eles passaram a ser liberados às 11h por falta de alimentação.

NOTIFICAÇÃO

Em novembro, após notificar o Governo do Estado sobre uma suspensão na distribuição de merendas escolares de 66 escolas em 35 cidades de Pernambuco, a Casa de Farinha S.A. afirmou ter recebido parte do pagamento e retomou prontamente a distribuição dos alimentos. Em nota, a empresa disse que recebeu o valor equivalente a cerca de 10% do débito total de cerca de R$ 8 milhões, pago via Secretaria de Educação.

A empresa destacou que a continuidade do fornecimento estará condicionada ao cumprimento do cronograma de pagamento que será estabelecido com o Governo do Estado. "Entendemos a delicada situação financeira a qual o Estado se encontra, entretanto, a ausência de pagamentos por tanto tempo torna inviável a manutenção do serviço. Mesmo com os atrasos a Casa de Farinha vem honrando a folha de pagamento e os tributos necessários. Acreditamos no compromisso do Estado", afirmou a Casa de Farinha no último dia 20 de novembro.

De acordo com a Casa de Farinha, após o pagamento dos 10%, o governo estadual não seguiu o cronograma acertado.

RESPOSTA

A Secretaria de Educação de Pernambuco informou que a maior parte das escolas do Estado conta com merenda escolarizada, ou seja, os alimentos são preparados pelas merendeiras da própria unidade de ensino. "Para uma outra parte das escolas, a merenda é preparada por 13 empresas terceirizadas contratadas pelo Estado, sendo a Casa de Farinha apenas uma delas. A Secretaria esclarece ainda que a rede estadual funcionou normalmente nesta quarta-feira (05). A Secretaria esclarece ainda que o ocorrido em poucas unidades nesta quarta, é um caso isolado e que já conversou com a empresa responsável a fim de garantir que não ocorra a interrupção da alimentação de estudantes. A empresa, inclusive, já informou que a partir desta quinta-feira (06) o serviço de merenda dessas unidades específicas será restabelecido", diz a nota.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias