Celebração

Juntas inovam e realizam 'posse popular' na próxima sexta

O evento acontecerá em frente ao edifício da Alepe, onde haverá um telão para acompanhar a cerimônia

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 29/01/2019 às 11:51
Foto: Alcione Ferreira/Divulgação
O evento acontecerá em frente ao edifício da Alepe, onde haverá um telão para acompanhar a cerimônia - FOTO: Foto: Alcione Ferreira/Divulgação
Leitura:

Fugindo da tradição, as cinco integrantes do mandato coletivo Juntas (PSOL) realizarão uma programação simbólica de atividades batizada de "posse popular". Antes da cerimônia oficial na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), às 15h, está marcada para começar às 13h com a concentração do ‘Arrastão das Juntas’ na frente do Shopping Boa Vista. 

O evento diferenciado acontecerá em frente ao edifício da Alepe, onde haverá um telão para acompanhar a cerimônia. Para encerrar a programação, às 16h, o mandato articulou a participação do Som na Rural, que receberá shows de artistas populares de Pernambuco.

Serviço

Programação completa da posse Popular das Juntas:

13h – Concentração shopping Boa Vista

14h30 – Saída do arrastão popular

15h – Cerimônia de Posse / Eleição da Mesa Diretora (telão)

16h – Som da Rural e artistas da terra

Coletivo

Em entrevista ao JC, o coletivo contou que se inspirou em outras experiências que já ocorreram como a “Gabinetona”, que resultou na atuação de Aurea Carolina e Cida Falabella em Belo Horizonte nas eleições de 2016. Elas dividem um gabinete da Câmara de Vereadores da capital mineira. A última eleição contou com o registro de 11 candidaturas coletivas distribuídas por São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Paraná, além da iniciativa pernambucana. 

“A nossa intenção é todos os dias estarmos na Alepe e nos revezar no final de semana para participar dos movimentos. Vamos trabalhar os 365 dias do ano”, atesta a jornalista Carol Vergolino. As bandeiras defendidas por elas incluem várias das outras parlamentares dessa legislatura: aumentar a representatividade da mulher, agir a favor de projetos que diminuam a violência – incluindo contra a mulher –, entre outras.

“Quando a gente se junta é mais forte contra a opressão. Homens e mulheres são iguais no direito, mas até hoje não é essa a prática”, diz Robeyoncé Lima, que trabalha como técnica administrativa na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

O coletivo que foi eleito pelo Psol com 39.175 votos, é formado por cinco mulheres diversas, a advogada trans Robeyoncé Lima, a jornalista Carol Vergolino, a estudante de letras Joelma Carla, a ambulante Jô Cavalcanti, que é o nome oficial com o qual foi registrado o mandato, e a professora Kátia Cunha.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias