Afastamentos

Só em 2019, três prefeitos pernambucanos foram afastados

Além de Demóstenes Meira, prefeito de Camaragibe, os gestores de Cedro e Palmares também foram afastados

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 20/06/2019 às 9:56
Notícia
Fotos: Divulgação
Além de Demóstenes Meira, prefeito de Camaragibe, os gestores de Cedro e Palmares também foram afastados - FOTO: Fotos: Divulgação
Leitura:

atualizada às 13h43

Com a prisão e o afastamento do prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), nesta quinta-feira (20), chegam a três os afastamentos de gestores pernambucanos nos seis primeiros meses de 2019. Além do petebista, foram afastados o prefeito de Palmares, na Mata Sul, e o de Cedro, no Sertão do Estado. O gestor de Abreu e Lima, no Grande Recife, recebeu o pedido de afastamento do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), no fim do último mês de maio, mas não chegou a ser afastado do cargo. 

Nesta quinta (20), Meira foi preso e afastado do cargo por ser alvo de organização criminosa, fraude em licitação, corrupção e lavagem de dinheiro.

No caso de Palmares, o motivo do afastamento de Altair Júnior (MDB) foi improbidade administrativa, ou seja, quando um gestor comete um ato ilegal ou contrário aos princípios básicos do Poder Público. O caso ocorreu em 27 de fevereiro deste ano, por uma aprovação unânime da Câmara Municipal e teve duração até o dia 7 de março, quando a terceira Vara Cível da Comarca de Palmares concedeu uma liminar determinando que o prefeito do município retornasse ao cargo.

Já o prefeito de Cedro, Antônio Inocêncio Leite (PR), segundo as investigações da Polícia Federal (PF), utilizava um “laranja” para vencer processos de licitação ou dispensá-los indevidamente para empresas de fachada. A medida foi cumprida no último dia 18) pela Delegacia de Polícia Federal.

Relembre os afastamentos

Camaragibe: prefeito da cidade de Camaragibe, no Grande Recife, Demóstenes Meira, foi preso através da operação "Harpalo II", sob coordenação da delegada Jéssica Ramos, da Diretoria Integrada Especializada - DIRESP, nesta quarta-feira (20). As investigações começaram em 2018 e miram as práticas de organização criminosa, fraude em licitação, corrupção e lavagem de dinheiro. 

Além do prefeito, outros quatro mandados de prisão preventiva foram cumpridos contra os empresários Severino Ramos da Silva, Luciana Maria da Silva, Carlo Augusto e Joelma Soares. Quarenta policias civis participaram da operação.

 

 

Palmares: O afastamento do prefeito de Palmares, Altair Júnior (MDB), foi através da aprovação por unanimidade da Câmara Municipal, pelo prazo de 90 dias. A decisão, tomada no fim do último mês de fevereiro, foi graças a falta de resposta do gestor aos pedidos de documentos requeridos pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga, desde outubro do ano passado, o emedebista por supostas irregularidades no pagamento de empréstimos consignados da administração. 

Além de Altair, o secretário de Finanças da cidade, Dgerson Mel, também foi afastado. Em 7 de março, o juiz da terceira Vara Cível da Comarca de Palmares concedeu uma liminar determinando que o prefeito do município retornasse ao cargo.

Cedro: O gestor do município do Sertão de Pernambuco, Antônio Inocêncio Leite (PR), foi alvo no último dia 17 de um mandado de busca e apreensão cumprido na sua casa na deflagração da Operação Chofer. Com a decisão, Antônio ficou proibido de ter acesso ao prédio da prefeitura. O vice-prefeito João Quental Martins assume o comando da prefeitura de Cedro.

O TRF-5 também afastou do cargo a secretária de Finanças do município, Andrezza Saraiva Leite, filha de Antônio Leite.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias