TURISMO

Nordestinos afinam discurso para vender região em Feira de Turismo na Europa

Participação da FITUR será discutida nesta terça-feira (14) no Fórum dos Secretários Estaduais de Turismo do Nordeste

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 13/01/2020 às 19:31
Notícia
Elisa Elsie/Consórcio Nordeste
Participação da FITUR será discutida nesta terça-feira (14) no Fórum dos Secretários Estaduais de Turismo do Nordeste - FOTO: Elisa Elsie/Consórcio Nordeste
Leitura:

O Fórum de Secretários Estaduais de Turismo do Nordeste, através do Consórcio Nordeste, se reúne nesta terça-feira (14), no Palácio do Campo das Princesas. O objetivo do encontro, que será recepcionado pelo governador Paulo Câmara (PSB), é debater políticas públicas comuns para o setor e falar sobre a participação da Feira Internacional de Turismo (FITUR), realizada em Madri, na Espanha, entre 22 e 26 de janeiro. 

Em 2019, o Consórcio que integra Pernambuco, Maranhão, Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia, Piauí, Alagoas, Paraíba e Sergipe, iniciou uma agenda internacional para ampliar o fluxo de negócios com investidores europeus e fortalecer as relações de cooperação com o Nordeste, não apenas do ponto de vista turístico. Os nove governadores estiveram na Itália, França e Alemanha, em novembro,  apresentando um mapa de investimentos para áreas integradoras, como sustentabilidade, infraestrutura, turismo, saúde, segurança pública, saneamento e energias limpas, inclusive com a perspectiva de abertura de parcerias público-privadas (PPP).

Para o governador Paulo Câmara, os desafios enfrentados pelos estados nordestinos são semelhantes e a missão internacional reforça a unidade da região. “Os estados do Nordeste enfrentam desafios semelhantes e estão, a partir do Consórcio, buscando alternativas comuns para superar as adversidades e planejar uma agenda para o futuro. Essa missão reforça a unidade da nossa região e nos permite apresentá-la na busca por mais parcerias internacionais, que dialogam com o que pensamos sobre desenvolvimento e sustentabilidade", afirmou o gestor, durante a viagem a França. 

Os secretários de Turismo do Nordeste, almoçam com o governador de Pernambuco, às 13h. Logo após o encontro, às 15h, será iniciado o Fórum de Secretários Estaduais de Turismo do Nordeste. Ainda de acordo com a agenda, os gestores e autoridades seguem para o Cais do Sertão, às 17h30. As atividades serão encerradas às 19h. 

CRÍTICAS A NORONHA

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), declarou, em uma transmissão ao vivo em sua página do Facebook realizada na última quinta-feira (9), que o cidadão deve ‘pensar bem’ antes de ir à Ilha de Fernando de Noronha. O líder falou ainda que quem decidir ir ao local, será ‘escalpelado’.

Ao falar sobre turismo, a partir dos 26 minutos e 50 segundos da transmissão, o presidente disse que o Brasil é um lugar excepcional para o turismo. No entanto, está faltando um estímulo para os turistas e citou o arquipélago como exemplo. “Vão tirar teu escalpo em Fernando de Noronha. Toma cuidado, liga antes. [são] R$ 200 para ir à praia, não pode fazer isso, não pode fazer aquilo. É multa para tudo quanto é lado”, criticou sobre os preços cobrados na ilha.

O presidente também fez críticas sobre a energia do local. "O que eu sei sobre Fernando de Noronha: tinha lá uma torre para energia eólica. Um dia um cara da ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade] passou por lá e viu um passarinho morto, o que gerou grande comoção. Bem, [por causa disso], não tem mais a torre, a energia agora é outra, térmica", criticou.

Em nota, a Administração da Ilha de Fernando de Noronha, que é feita pelo Governo de Pernambuco, informou que a cobrança de taxas federais aos turistas não compete à administração local, seja a definição de valores ou a sua aplicação e que acredita que o assunto seja tema para pronunciamento do Meio Ambiente, pois são recursos recolhidos pelo Governo Federal. Confira nota na íntegra:

"A Administração da Ilha de Fernando de Noronha, depois de implantar o programa Noronha Plástico Zero, também deu início ao Programa Noronha Carbono Zero. Nesta semana, o governador Paulo Câmara sancionou a Lei que determina a proibição de carros à combustão, na ilha, indicando os prazos para cumprimento da medida. Agora em fevereiro começa a funcionar o primeiro Ecoposto público, que funciona à base de energia solar, para abastecimento de carros elétricos - muito menos poluentes, mesmo que não sejam abastecidos por fontes de energia limpa. O próximo passo da gestão estadual, em Noronha, é a mudança gradual da matriz energética da Ilha, para que em 2030 toda ela funcione com energia renovável.

A respeito da cobrança de taxas federais aos turistas, como a mesma não compete à administração local, seja a definição de valores ou a sua aplicação, acreditamos que seja tema para pronunciamento do Ministério do Meio Ambiente, pois são recursos recolhidos pelo Governo Federal. Em Noronha, seguiremos o intenso e produtivo trabalho de consolidação da Ilha como uma referência internacional em sustentabilidade, com preservação da natureza mas, também, desenvolvimento, requalificação da infraestrutura, a exemplo do Porto (obra concluída) e da instalação de iluminação LED na BR (a iniciar ainda em janeiro) e com um forte olhar voltado aos seus moradores.

Uma série de intervenções estão sendo realizadas, como a entrega de 26 novas casas populares, requalificação de 11 ruas, melhoria das estruturas da Escola de Referência em Ensino Médio Arquipélago, do Hospital São Lucas, otimização da limpeza urbana e a devida destinação dos resíduos sólidos"

Pronunciamento do Conselho de Turismo (Contur) da Ilha

Em conversa com o Jornal do Commercio, Dora Martins, que é chefe do Contur da Ilha de Fernando de Noronha, disse que o presidente 'não está sabendo sobre o que está falando'. Segundo ela, a torre eólica não deixou de funcionar por causa da morte de um pássaro, mas porque foi atingida por um raio.  "A turbina foi destruída por um raio, não tem nada a ver com um pássaro", explicou.

Dora também rebateu a fala de Bolsonaro sobre os preços cobrados na Ilha. "O ingresso ao Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, custa R$ 111, não é o valor que ele disse", completou.

Outro ponto que a chefe destacou foi que a comunidade turística está tentando entrar contato com os ministros e com o presidente da Embratur, indicados por Bolsonaro, para explicar quais são os reais custos da Ilha e como ela funciona.  

"Nós ficamos muito preocupados, porque foi feito um marketing negativo sobre a Ilha e a sobrevivência dela vem mais de 90% do turismo. O brasileiro que poderia ir para lá, ouvindo isso talvez não vá. Gostaria que tivesse a oportunidade de ir para Noronha para nós recebê-lo e ele ver que o local é um santuário, um paraíso", disse.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias