Eleições 2020

''Somos radicalmente contra 'familiocracias''', diz Patrícia Domingos sobre João Campos e Marília Arraes

Delegada Patrícia Domingos filiou-se nesta quarta-feira (5) ao Podemos e assumiu pré-candidatura à Prefeitura do Recife

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 05/02/2020 às 19:10
Notícia
Foto: Reprodução/Instagram
Delegada Patrícia Domingos filiou-se nesta quarta-feira (5) ao Podemos e assumiu pré-candidatura à Prefeitura do Recife - FOTO: Foto: Reprodução/Instagram
Leitura:

Atualizada às 20h09

Ao ser questionada sobre em qual campo político figuraria na eleição para a Prefeitura do Recife, seja uma candidatura de centro ou uma eventual aliança com Marília Arraes (PT) ou João Campos (PSB), a delegada Patrícia Domingos (Podemos) afirmou que é radicalmente contra o que ela chama de "familiocracias". Ela filiou-se ao Podemos nesta quarta-feira (5), ocasião em que também assumiu a sua pré-candidatura ao comando da capital pernambucana. 

"(Familiocracia) é o domínio de um povo por gerações sequenciadas de pessoas, é o que a gente chama de políticos por herança genética. Nós somos radicalmente contra esse tipo de gestão e eu acredito sinceramente que Recife precisa dar um basta a esse ciclo de poder que se perpetua há tantos anos e abrir espaço para o novo, para uma gestão técnica, uma gestão de qualidade, com transparência, com bom gestão de recursos públicos e principalmente combatendo a corrupção dentro da própria gestão municipal", disse a delegada. 

> Patrícia Domingos entra no Podemos e assume de vez pré-candidatura ao Recife

> Igor Maciel: Anúncio de Patrícia Domingos teve críticas a Bolsonaro

> Deputado da oposição declara apoio à eventual candidatura de Patrícia Domingos no Recife

> Igor Maciel: Patrícia Domingos é a primeira a confirmar presença em bloco com prefeituráveis do Recife

Segundo o presidente do Podemos em Pernambuco, Ricardo Teobaldo, o nome de Patrícia é mais um para se articular com o grupo de oposição estadual. "Nós vamos dialogar, conversar com os atores da oposição de Pernambuco para que a gente possa através da entrada de Patrícia no Podemos fazer uma aliança forte em Pernambuco possa levar a oposição a ganhar as eleições para a Prefeitura do Recife", disse.

Podemos

Após ter sido cortejada por vários partidos do campo da direita, e consequentemente de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), Patrícia decidiu filiar-se ao Podemos, partido que tem como principal bandeira o combate à corrupção.

A sigla, que tem como um dos seus principais líderes o senador Álvaro Dias, faz uma defesa ferrenha à Operação Lava Jato e ao ministro da Justiça, Sérgio Moro. 

Para a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, Patrícia reúne todas as características defendidas pelo partido. "Guerreira, lutadora, que não está se furtando da missão que o estado do Pernambuco está te convocando, que é representar a esperança do povo brasileiro que vem se perdendo nas estradas da decepção", disse. 

Em seu discurso durante a filiação, o Senador Álvaro Dias, que é líder do Podemos no Senado, enfatizou a relação entre a candidatura de Patrícia com o combate à corrupção e a defesa da Operação Lava Jato, e também o distanciamento do projeto do Podemos em relação ao governo de Jair Bolsonaro (Sem partido), com críticas indiretas ao presidente. 

"Nós imaginávamos que as eleições de 2018 seriam um marco importante no avanço da política de combate à corrupção no País e já sofremos algumas decepções com retrocessos imperdoáveis. A eleição de Patrícia à Prefeitura de Recife não é só a garantia de competência de gestão, de lisura na aplicação dos recursos públicos, mas é também a certeza de que estaremos com ela
em uma cidade importante do País. Estaremos robustecendo a convicção daqueles que querem a operação Lava Jato como uma política de estado permanente, institucionalizada. Muitos elegeram como prioridade na campanha eleitoral, mas se esqueceram, a população não esquece", disse. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias