Cena Política

E se construíssem uma estação do metrô do Recife em Noronha, quem assumiria, Bolsonaro ou Paulo Câmara?

Paulo Câmara (PSB) e Bolsonaro (PL) brigam pra ver quem fica com a ilha paradisíaca, mas fogem da responsabilidade em relação ao transporte metroviário.

Igor Maciel
Cadastrado por
Igor Maciel
Publicado em 19/05/2022 às 12:15
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Paulo Câmara e Bolsonaro - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Ninguém quer o metrô do Recife, mas todo mundo quer Noronha.

Paulo Câmara (PSB) e Bolsonaro (PL) brigam pra ver quem fica com a ilha paradisíaca, mas fogem da responsabilidade em relação ao transporte metroviário.

- Greve no Metrô do Recife: paralisação deve começar nesta sexta, após indefinição sobre transferência para a gestão privada

Se fosse para não falar sério, poderíamos propor construir uma expansão dos trilhos para Fernando de Noronha e ver quem aceita assumir os dois juntos.

Pensem bem, o sujeito sairia da estação Joana Bezerra direto para nadar com os golfinhos. Quem ficar com Noronha, Paulo ou Bolsonaro, fica também com o metrô!

- Paulo Câmara cobra responsabilidade de Bolsonaro com Metrô do Recife e Anderson não gosta. 'Não tem moral para cobrar nada do presidente'

Eles se entenderiam? Provavelmente não, porque ninguém está preocupado com a administração da ilha ou com o trabalhador, o que não nada com golfinhos e enfrenta o sucateamento do metrô diariamente. As duas novelas são apenas pequenas batalhas eleitorais.

- Gilson Machado e Anderson Ferreira cobram paternidade por nova licitação para aeroporto de Noronha

Dono e gestor

Vamos falar sério. As noções de propriedade e responsabilidade é que estão sendo confundidas nessa discussão. E é de propósito.

O território de Fernando de Noronha pertence a Pernambuco, e isso está claro na Constituição de 1988. Mas, a responsabilidade também é de Pernambuco e, nisso, há falhas de gestão imensas.

Se o governo Federal quer dizer que é dono de Noronha, está errado.

Se quer questionar os problemas de infraestrutura da ilha, que são muitos, aí sim, está coberto de razão, porque, entre outras coisas, o território é uma ilha oceânica dentro da zona econômica exclusiva do Brasil. Quem conhece Noronha para além de sua capa turística, sabe que os moradores de lá sofrem bastante. Os serviços são péssimos.

Da mesma forma, dizer que o metrô pertence a Pernambuco seria um absurdo. O metrô é do governo Federal, administrado pelo governo Federal através da CBTU e com péssimos resultados.

Mas, Pernambuco pode e deve questionar a União pela administração precária do equipamento, sim, porque ele está em território pernambucano e serve (mal) aos pernambucanos.

Se os serviços em Noronha não são bem administrados, Pernambuco precisa ser cobrado. Se os serviços do metrô não são bem administrados, a União deve ser cobrada.

O problema, origem de toda essa discussão boba entre duas gestões incapazes de dialogar decentemente, é que a União sempre fingiu que não tinha nada a ver com Noronha e Pernambuco sempre fingiu que não tinha nada a ver com o metrô.

Se isso mudar, já saímos no lucro.

Comentários

Últimas notícias