Opinião

Petrobrás não se submete à lei de mercado mais saudável e preciosa: a concorrência

Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 23/02/2021 às 7:15
Notícia

MARCOS DE PAULA/ESTADÃO CONTEÚDO
PETROBRÁS - FOTO: MARCOS DE PAULA/ESTADÃO CONTEÚDO
Leitura:

Petrobrás e concorrência

A Petrobras se locupleta da lógica do mercado, sobretudo para se blindar de "interferências", mas não se submete à lei de mercado mais saudável e preciosa: a concorrência. Do alto de sua experiência, o ex-ministro e consultor Delfim Netto está convencido de que a solução para a polêmica envolvendo combustíveis seria resolvida revogando-se a proibição para importar combustíveis. "A Petrobrás precisa ser submetida a concorrência", aconselha o professor. Só a concorrência derruba preços. O Cade, que atua contra os cartéis, fez várias recomendações para o setor de combustíveis, incluindo extinguir a proibição de importação. A Constituição poupa a Petrobras da concorrência, com o monopólio na lavra e refinação do petróleo e importação ou exportação de derivados. Quando roubada, como na era PT, ou vítima de má gestão, a Petrobras esquece o mercado e recorre ao Tesouro Nacional para cobrir prejuízos. O cartel (ou "máfia", como preferem donos de postos) das distribuidoras de combustíveis também se beneficia da falta de concorrência no setor.

Brasil vacina mais que a média

No dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 7 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus aplicadas, o Our World in Data confirmou que o ritmo brasileiro é cerca de 23% melhor que a média mundial. De acordo com a plataforma que monitora tanto a evolução da pandemia quanto da imunização, 3,27% da população brasileira já recebeu ao menos uma dose, enquanto a média mundial de imunização é de 2,67%. O Brasil superou média de 250 mil doses diárias aplicadas. Nessa toada, em menos de duas semanas teremos mais vacinados que infectados. Sexto país no número de vacinados, o Brasil deve ultrapassar Israel esta semana e se tornar o quinto, atrás de EUA, China, Reino Unido e Índia. Israel lidera a vacinação proporcional entre os países com mais de cinco milhões de habitantes: 85%. Em 2º estão os Emirados Árabes com 56%.

Fim de farra

Autorizado pelo STF, o Ministério da Mulher completou a revisão de 25% de 2,5 mil anistias a ex-cabos da Aeronáutica. Dos 635 processos vistos, apenas 23 foram mantidos após comprovadas perseguições políticas. O fim da farra representa economia, até agora, de R$86 milhões anuais.

Ligação

O telefone tocou, era Bolsonaro: "Pronto para nova missão?" Joaquim Silva Luna reagiu sem hesitar: "Estou sempre pronto a servir a Pátria!" Ouviu uma risada de satisfação e o convite para presidir a Petrobras.

O que atrasa

Em vez de cobrar da Ford o devido pagamento dos direitos trabalhistas, a incorrigível Justiça do Trabalho proibiu demissões. Não por acaso a própria Ford escolheu não permanecer no Brasil e tantas outras empresas pensam cem vezes antes de contratar ou investir neste País.

Outros motivos

Os jornalões ignoraram, mas os investidores da Petrobras certamente foram influenciados também pelo incêndio de uma hora e meia em uma plataforma (P-48) da Bacia de Campos, no fim de semana.

Especulação

A queda nas ações da Petrobras não decorre da troca no comando da estatal, mas de especuladores que viram oportunidade para lucrar mais. É só lembrar que algo só é vendido quando há quem queira comprar.

Mandou bem

Em dois anos de Itaipu, o novo presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, promoveu economia de R$2,5 bilhões. Fechou a inútil sede em Curitiba e concentrou o trabalho na sede de fato, em Foz do Iguaçu. Cortou luxos, como carros oficiais, e patrocínios distribuídos sem dó.

Toque em SP

A expectativa em São Paulo é do anúncio, nesta quarta (24), de toque de recolher em parte da noite e a madrugada, como em outros estados, na guerra contra covid. Espera-se que Doria não viaje de férias outra vez.

Apanha, mas...

Impressiona especialistas como Murilo Hidalgo, presidente do Paraná Pesquisas, o fato de o eleitor de Jair Bolsonaro não o abandonar, assim como ele parece governar para esse contingente. A pancadaria é inclemente, mas o presidente continua liderando pesquisas para 2022.

Frase

"Será um marco histórico nas finanças públicas do País" - Presidente da Câmara, Arthur Lira, sobre as PECs do Pacto Federativo e Emergencial

 

Comentários

Últimas notícias