OPINIÃO

O dedo de Bolsonaro na Eletrobras só gerou lucros

Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 26/02/2021 às 7:36
Artigo

ISAC NÓBREGA/PR
"O gesto do presidente de levar ao Congresso a medida provisória que deflagra a privatização da Eletrobras ajudou a valorizar suas ações" - FOTO: ISAC NÓBREGA/PR
Leitura:

Eletrobras valorizou 23% em 4 dias. ‘Interferência’?

A estatal federal Eletrobras valorizou 23% esta semana, mesmo após o presidente Jair Bolsonaro avisar que iria interferir no setor elétrico, mas ninguém atribuiu a essa atitude a valorização expressiva da estatal de energia. No início da semana, o papel da Eletrobras era vendido a R$27,04 e, ontem, registrava valorização de 23%, cotada a R$33,83. O dedo presidencial, no setor elétrico, afinal só gerou lucros. O gesto do presidente de levar ao Congresso a medida provisória que deflagra a privatização da Eletrobras ajudou a valorizar suas ações. A MP 1031 (Eletrobras) teve objetivos vitais para o êxito do governo. Um deles foram os grandes investidores privados, nacionais e internacionais. A MP também é uma investida contra aumentos tão cruéis quanto os dos combustíveis: só em 2021, o povo amarga alta de 13% na conta de luz. Confiar ao BNDES os estudos para privatizar a Eletrobras gerou alívio. A pior escolha seria entregar a tarefa ao corporativismo dos eletrocratas.

PEC vapt-vupt

O senador Álvaro Dias classificou como “vergonha” não apenas o teor da PEC da Imunidade como também a tramitação vapt-vupt: foi apresentada um dia, protocolada no outro e já levada ao plenário da Câmara. Autor da polêmica PEC votada ontem, o deputado Celso Sabino (PSDB-MA), diz que seu projeto restringe o foro privilegiado e ignora os críticos: “Só tenho medo de ser covarde”.

Pensando bem...

...a gritaria sobre a PEC faz parecer que, antes, não havia impunidade para deputados ou senadores.

País não aguenta

A defesa da volta do auxílio emergencial sem corte de outros gastos foi classificada como “demagogia explícita” pelo deputado Marco Feliciano (Rep- SP). Segundo ele, sem cortes de despesas “o país quebra”.

Lacração

José Medeiros (Pode- MT) ironizou o fato de a Argentina passar a exigir curso de igualdade de gênero para obter a carteira de motorista. “Logo logo será obrigado a escolher um segundo gênero”, disse o deputado.

Imunização

Ao contrário de outros países, o Brasil decidiu manter reserva para garantir a segunda dose para aqueles que já receberam a primeira. Essa estratégia refuta os negativistas que difundem fake news do tipo “acabaram as vacinas”. Ao contrário.

Veto à religião

O deputado Sóstenes (DEM-RJ) criticou o governador paulista João Dória (SP) por vetar projeto que tornava a religião atividade essencial. “A atividade religiosa sofre com certas medidas impensadas”, disse.

Chupa, China

Considerada dos maiores produtores de vacinas contra Covid-19 do planeta, a China divulga que imunizou até agora 2,82% da sua população. O Brasil, “onde não há vacinas, que horror”, vacinou 3,55%.

Frase

"Falar em ‘comprar vacina diretamente’ é jogar para a plateia” Ibaneis Rocha (MDB), governador do DF, lembrando que não há vacinas disponíveis

Competitividade

A globalização chegou ao campo e agricultores brasileiros que usam os portos do Arco Norte economizam até 35% no frete, ao pagar as taxas do canal do Panamá para utilizar as rotas do Oceano Pacífico.

Variante Boris

Enquanto o premier-mala do Reino Unido, Boris Johnson, alertava para a preocupação com “variante brasileira” do coronavírus, a variante britânica chegava ao Brasil e já foi confirmada ao menos em 15 municípios.

Comentários

Últimas notícias