OPINIÃO

Um dos fatores mais importantes de qualquer CPI é o holofote, e nesse quesito os depoimentos de Pazuello ganharam "medalha" de ouro

O canal da TV Senado, que habitualmente registra entre 40 e 60 mil visualizações ao dia, contabilizou que 1,35 milhão de pessoas assistiram ao primeiro dia e 1,67 milhão ao segundo dia de depoimento de Pazuello. Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cadastrado por
Cláudio Humberto
Publicado em 26/05/2021 às 7:37 | Atualizado em 26/05/2021 às 7:41
JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello - FOTO: JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO
Leitura:

Ouro e prata em audiência

Um dos fatores mais importantes de qualquer CPI é o holofote e nesse quesito os dois dias de depoimentos do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello ganharam "medalha" de ouro e prata, segundo levantamento da plataforma Social Blade, que avalia a audiência de canais do Youtube. O canal da TV Senado, que habitualmente registra entre 40 e 60 mil visualizações ao dia, contabilizou que 1,35 milhão de pessoas assistiram ao primeiro dia e 1,67 milhão ao segundo dia de depoimento de Pazuello. A terceira maior audiência da TV Senado nas três primeiras semanas foi durante o depoimento do representante da Pfizer, Carlos Murillo: 928 mil. Nesta terça (25), logo após o fim da sessão, a Social Blade contabilizava provisoriamente 611 mil visualizações no depoimento de Mayra Pinheiro. Na imprensa, "bombaram", mas foram menores as audiências de Fabio Wajngarten (589 mil), Nelson Teich (539 mil) e Ernesto Araújo (527 mil). O depoimento do ex-ministro Luiz Mandetta (318 mil), queridinho das manchetes, só não perdeu para o atual ministro da Saúde (261 mil).

Doutrina Geisel-Golbery e Pazuello

O enquadramento do general Eduardo Pazuello (foto) no Regulamento Disciplinar do Exército, por sua participação em ato político favorável ao presidente Jair Bolsonaro, domingo, no Rio, "atesta a durabilidade e o vigor da doutrina (Ernesto) Geisel-Golbery (do Couto e Silva) de profissionalização das Forças Armadas", lembra o cientista político Paulo Kramer. Estudioso do tema, ele desafia: "E agora, a imprensa lacradora, que vive alarmada com 'a volta da ditadura militar', vai reconhecer isso?" A transição foi concretizada pela decisão de Geisel de promover a volta aos quartéis e manter os militares longe das paixões político-partidárias.

Piada, não

Chamada de "capitã cloroquina" pela mídia, que tentou desacreditar previamente seu depoimento, a secretária do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, não confirmou a piada. A médica se revelou segura, qualificada e paciente. Também "decepcionou", ao não usar o direito de ficar calada.

Mais depoentes

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da covid, revelou ontem que há 402 requerimentos pendentes de análise na comissão, sendo nove para governadores e, "parece", 12 prefeitos.

Se lhe parece

Irritado com o desempenho da secretária, senador sergipano disse que depoentes são "treinados para mentir". Mayra Pinheiro pediu respeito, ele negou. E Omar Aziz ainda disse que ela "não foi chamada de mentirosa".

Sinuca

Senadores da oposição ficaram reféns do próprio dilema quando investiam contra a secretária Mayra Pinheiro. O medo de ser acusado de atacar uma mulher foi maior que a vontade de atacar Jair Bolsonaro.

Rebaixamento

O Amapá do senador Randolfe Rodrigues (Rede) registra o segundo pior resultado da vacinação em todo o País, com só 6,2% da população imunizada. Só perde para o Acre.

Aquecida

Entre reclamação pelo fechamento de agências e chamar Bolsonaro de "exterminador do futuro", a deputada Lídice da Mata (PCdoB-BA) teve de citar o lucro do Banco do Brasil no 1º trimestre, 32% maior que em 2020.

Frase

"Eu não sou tecnicamente preparado para dar uma opinião nisso" Senado Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da covid, na sessão desta terça.

Comentários

Últimas notícias