Coluna Cláudio Humberto

TSE flana o mês inteiro em pleno ano eleitoral

A folga começou quando faltavam 90 dias para a eleição. O TSE já comunicou a chamada "suspensão dos prazos processuais" durante o recesso, todo o mês de julho, até o dia 31

Cláudio Humberto
Cadastrado por
Cláudio Humberto
Publicado em 05/07/2022 às 6:20 | Atualizado em 05/07/2022 às 6:35
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Em pleno ano eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não abriu mão do recesso de meio do ano - FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

A produção de piadas prontas no Brasil continua inesgotável: em pleno ano eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não abriu mão do recesso de meio do ano, garantindo folga remunerada a suas excelências. A folga começou quando faltavam 90 dias para a eleição. O TSE já comunicou a chamada "suspensão dos prazos processuais" durante o recesso, todo o mês de julho, até o dia 31. Que vergonha. No STF, cinco ministros "trabalharão durante o recesso". Isso impede decisões de urgência da presidência sobre processos que relatam. Juram que irão trabalhar no recesso André Mendonça, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes. Toffoli, Luís Barroso, Edson Fachin e Nunes Marques vão viajar, por isso, no recesso, questões urgentes podem ser decididas pelo presidente. No Supremo e demais tribunais, o presidente e o vice se revezam em plantões quinzenais. O plantão do ministro Luiz Fux começa no dia 17.

Hostilidades criam 'climão'

Atitudes hostis de Paulo Guedes (Economia), agora contra Carlos França (Relações Exteriores), ajuda a piorar o clima no governo Bolsonaro. França tem sido alvo de "plantações", atribuídas por diplomatas a Guedes, após o Itamaraty não avalizar a adesão do Brasil a documento da OCDE, sobre a guerra da Ucrânia, sem questionar. Guedes, que já teve embates com colegas como Roberto Campos Neto (Banco Central), prega obediência cega para agilizar o ingresso do Brasil na OCDE. O tzar da economia não sabe que a diplomacia brasileira, admirada em todo o mundo, jamais aderiu a documentos sem negociar seus termos. Guedes atribui a França a visita oficial à Rússia. Acertada em dezembro, a visita em fevereiro coincidiu com o agravamento da crise na Ucrânia. Paulo Guedes disse que 'sabia' da invasão após livro sobre Putin. "Recomendo, tem em português", provocou França, que domina meia dúzia de idiomas.

PCC-PT

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que também é procurador, vai protocolar pedido de CPI para investigar novas denúncias de Marcos Valério à Policia Federal. O ex-tesoureiro do mensalão do governo Lula confirmou a aliança de petistas com organizações criminosas tipo PCC.

Quadrilha

Além de reforçar as suspeitas de que Celso Daniel, prefeito de Santo André foi morto por queima de
arquivo, Marcos Valério revelou à PF haver movimentado mais de R 100 milhões de dinheiro sujo do
PT.

Ninguém

Ao defender a PEC que limita recursos em ações no STJ, a deputada Bia Kicis (PL-DF) deu números: a Corte julgou 3.711 em 1989, primeiro ano do STJ, passou para 128.042 em 1999 e, em 2021, chegou a 560.405.

Consequência

A nova foto falsificada, publicada por Lula, com pessoas multiplicadas artificialmente em Salvador, devolveu à tona a discussão: a Justiça Eleitoral, se é cega mesmo, considera fake news uma foto adulterada?

Ativismo

Tem jornalão que garante que o STF "evitou" a posse da nova presidente Rosa Weber na semana do 7 de setembro por "receio de atos de teor golpista", mesmo com o fim do mandato do antecessor dia 10, sábado.

Queimadas

Não ganhou destaque nas manchetes os mais de 100 focos de incêndio registrados na Itália, ontem (4). Na Grécia, foram 52 focos de incêndio em 24h. É que, lá, as florestas e chefes de governo têm outro nome.

Frase

"Temos que ter responsabilidade para apurar com critério". Daniella Marques, nova presidente da Caixa,
sobre as denúncias contra seu antecessor

Comentários

Últimas notícias