Finanças

Consumo x Tempo x Dinheiro como base para as suas prioridades e necessidades

Até que ponto estamos prontos para encarar isso de uma forma mais lógica e realista? Leia a opinião de Leandro Trajano

Leandro Trajano
Leandro Trajano
Publicado em 14/02/2021 às 2:00

MF
"Inventamos uma montanha de consumo supérfluo, compra-se e descarta-se. E o que estamos gastando é tempo de vida" - FOTO: MF
Leitura:

Hoje, venho com uma reflexão que gosto bastante sobre consumo x tempo x dinheiro. Até que ponto estamos prontos para encarar isso de uma forma mais lógica e realista?

Na verdade, vejo as pessoas falarem bastante sobre consumo, muito sobre tempo e quase nada sobre dinheiro. Claro, isso pode variar um pouco de acordo com a "bolha" que você vive, no meu caso, sim, dinheiro é sempre algo bastante falado, certamente por viver no universo financeiro, diria que consumo e tempo também, porém em outras conotações. Mas e você? Analise a sua realidade, com as suas prioridades e as suas necessidades. Percebeu duas palavras interessantes na última frase? Prioridades e necessidades. Vejo essas duas palavras com definições de grande impacto e base sólida para nos apoiar em nossas tomadas de decisão. A relevância de ter a clareza do sentido delas de acordo com o momento em que vivemos, percepção quanto às nossas prioridades e necessidades, isso evidencia muita coisa, vale pensar um pouco a respeito, sem deixar de lado os seus valores.

Diria mais até, vale refletir sobre as suas necessidades e prioridades quando estiver vivendo um processo de tomada de decisão para determinada compra e até mesmo, claro, para uma decisão que não tenha o viés financeiro de forma direta.

Mergulhamos, então, num trecho de uma fala do uruguaio Pepe Mujica, ex-presidente do país e que tem uma singularidade que admiro na forma de agir e pensar.

"Inventamos uma montanha de consumo supérfluo, compra-se e descarta-se. E o que estamos gastando é tempo de vida.

Porque quando eu compro algo, ou você, não compramos com dinheiro, mas com o tempo de vida que tivemos que gastar para ganhar esse dinheiro. Mas com uma diferença, a única coisa que não se pode comprar é a vida, a vida se gasta..."

Você já parou para pensar desta forma? A partir desse ponto de vista?

É de fato bem diferente do que o dia a dia nos traz, capaz de nos provocar em relação a essa tríade: consumo, tempo e dinheiro.

O presente nos leva ao consumo, sem motivar um olhar realista, mais pragmático em relação ao futuro, necessidades constantemente criadas: precisamos ter, precisamos comprar, é a última oportunidade, você nunca vai ver nada igual... gatilhos para mexer com a pessoa, e, em muitos casos, a fragilidade e insegurança terminam não fazendo com que haja uma análise mais racional dos fatos. Isso termina por levar a compras por impulso, uso do cartão de crédito de forma descontrolada e esse mix, para muitos, é o caminho para o descontrole financeiro e suas consequências na vida pessoal, familiar e profissional.

Por isso te convido a refletir, perceber melhor o que você leu aqui, indicar a leitura para quem vive com você no dia a dia, a fim de que possam alinhar o pensamento, e para isso, falar sobre o tema é apertar o botão de "start", o primeiro papo pode até não ser bem do jeito que gostaria, mas a semente foi plantada, não tenha dúvidas.

Te convido a dimensionar, a calcular mesmo o valor da sua hora de trabalho, para que possas ter ela como base, para tomar certas decisões de consumo no dia a dia, baseado em quantas horas você precisará trabalhar para ganhar o dinheiro que te possibilitará fazer tal compra.

E de acordo com isso, pensar se realmente vale a pena, se está de acordo com suas necessidades e prioridades.

Vida que segue!

Forte abraço e até a próxima!

 

Comentários

Últimas notícias