COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Primeiro caso de suspensão de aula presencial, por causa de covid, numa escola estadual de Pernambuco

Aulas presenciais para o ensino médio público foram retomadas em 21 de outubro. Unidade com atividade suspensa fica em Sertânia. Suspensão, por enquanto, só vale para esta terça-feira. Docentes defendem fechamento por mais tempo

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 24/11/2020 às 12:32
YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Alunos do ensino médio são os únicos autorizados a voltar para o ensino presencial nas escolas da rede estadual, com protocolos específicos para a área - FOTO: YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada às 17h30

Devido a casos confirmados de covid-19, a Escola Técnica Estadual Arlindo Ferreira dos Santos, localizada em Sertânia, no Sertão do Estado, teve as aulas presenciais suspensas nesta terça-feira (24) pela Secretaria de Educação de Pernambuco. É o primeiro caso de suspensão numa escola da rede estadual desde que as aulas presenciais para o ensino médio público voltaram, em 21 de outubro. O colégio tem 448 alunos matriculados.

Dez funcionários da unidade de saúde testaram positivo para o novo coronavírus. Os exames foram realizados na última segunda-feira (23), por solicitação de equipe da vigilância sanitária do município. Não há definição ainda se haverá aulas a partir de quarta-feira. Docentes defendem que as atividades não voltem enquanto não houver segurança para o retorno.

"Sugerimos que a escola siga os protocolos estabelecidos pela notas técnicas estaduais e portarias referentes ao aparecimento de casos suspeitos e confirmados para COVID 19. Foram 24 profissionais testados na segunda-feira, 23, totalizando 10 casos confirmados. Desses, apresentaram resultado positivo uma merendeira, dois vigilantes, três auxiliares de serviços gerais, dois professores e duas pessoas da gestão ou secretaria", explica a professora Carla Gonçalves Galindo, que leciona no curso técnico de enfermagem da escola. Ela também integra o comitê operacional de covid-19 da escola.

"Queremos que sejam cumpridas as medidas que estão previstas nos protocolos e nas portarias do governo estadual. O governo de Pernambuco não preparou o quadro de funcionários das escolas públicas para o presencial. Não tivemos plano de contingência estadual para orientar como seria o retorno presencial nas escolas estaduais. A prova está aí, os números não mentem. O que estamos apelando ao governo é que nos deixem seguros para exercermos a nossa missão na escola. Que as escolas sejam readequadas conforme protocolos estabelecidos. Tudo isso deveria ter sido feito antes, porém, ainda dá tempo para nos organizarmos", destaca Carla. Segundo a professora, só 24 alunos estão frequentando as aulas presenciais.

SANITIZAÇÃO

Por meio de nota, a Secretaria de Educação e Esportes do Estado diz que aguarda as orientações da Secretaria Estadual de Saúde, em articulação com a Secretaria de Saúde do município, sobre os próximos passos a serem adotados. "Os estudantes seguirão com atividades escolares não presenciais até que seja retomada as atividades presenciais na escola", diz o órgão.

"Mesmo com funcionários não apresentando sintomas, inclusive em alguns casos, não trabalhando presencialmente na escola, foram realizados, por solicitação de equipe da vigilância sanitária do município, teste para covid-19 em parte dos trabalhadores da escola. Do total de 24 testes rápidos realizados, dez deram positivo. A pasta destaca que em alguns desses casos as pessoas são grupo de risco e não estavam em atividade na escola, e se deslocaram para realizar o procedimento", ressalta a Secretaria de Educação.

O órgão esclarece também que estes profissionais, em sua maioria colaboradores terceirizados, não apresentaram sintomas e, devido ao teste rápido não possuir 100% de confiabilidade em determinadas situações, a pasta manteve contato com a Secretaria Estadual de Saúde para avaliação do caso, inclusive testando novamente os profissionais, se necessário. Por precaução, a unidade escolar foi toda sanitizada e suspendeu as atividades presenciais nesta terça-feira", enfatiza a secretaria.

SINTEPE

Assim como os docentes da ETE de Sertânia, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) defende que as aulas presenciais lá continuem suspensas e não apenas nesta terça-feira (24), como anunciou a Secretaria Estadual de Educação. "Na Escola Técnica Estadual Arlindo Ferreira dos Santos foram comprovados 15 casos positivos de covid-19, sendo 62,5% dos trabalhadores/as. Esse número é considerado alarmante, levando em consideração que os estudantes não foram testados", destaca a entidade, em nota.

"A Vigilância Sanitária foi acionada e hoje inicia um processo de sanitização, no entanto, não resolve o problema, visto que este é, apenas, o primeiro passo do processo de cuidados necessários ao combate do contágio do covid-19 na escola", diz o Sintepe, por meio de nota. "Diante dos riscos inerentes à comunidade, exigimos o fechamento imediato da escola citada e que todos/as sejam testados/as, com a garantia de que as pessoas com confirmação de covid-19 e os contatos sejam colocadas em quarentena, como forma de preservar a segurança e a vida", complementa a entidade.

A Secretaria de Educação confirma 10 casos e não 15. Mas o Sintepe diz que os cinco casos desconsiderados pela secretaria foram identificados em outro momento, sem ser na testagem realizada na última segunda-feira.

Comentários

Últimas notícias