COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Com medo da covid-19, docentes da rede estadual de Pernambuco vão realizar ato pedindo suspensão das aulas presenciais

Ato será nesta quinta-feira, em frente à Secretaria Estadual de Educação, no Recife. O pedido é que as escolas estaduais fechem por causa da covid-19

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 03/03/2021 às 17:36
Notícia

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Escolas estaduais estão abertas apenas para o ensino médio - FOTO: YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Leitura:

Um ato simbólico reivindicando a suspensão das aulas presenciais nas escolas estaduais de Pernambuco será realizado, nesta quinta-feira (04), pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Vai acontecer na frente da Secretaria Estadual de Educação, no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife, às 10h. A entidade argumenta que diante do aumento de casos da covid-19, docentes,  alunos e demais funcionários das unidades de ensino estão em risco. 

Além do fechamento das escolas e adoção de aulas apenas remotas, o Sintepe pede que os professores da rede estadual sejam priorizados e incluídos na primeira fase de vacinação contra o novo coronavírus.

Atualmente, somente alunos do ensino médio estão tendo aulas presenciais na rede estadual. Os estudantes do ensino fundamental seguem com aulas virtuais, já que a autorização do governo para a reabertura das escolas nessa etapa começa em 18 de março.

O ano letivo de 2021 começou há um mês, em 3 de fevereiro, com atividades para os docentes. Para os discentes teve início em 4 de fevereiro.

Na última terça-feira (02), os secretários de Saúde e de Educação de Pernambuco, André Longo e Marcelo Barros, respectivamente, defenderam a manutenção do funcionamento das escolas estaduais e privadas. Argumentaram que o protocolo sanitário da educação está sendo cumprido pelas redes.

Na segunda-feira passada (1º), o Sintepe já havia se manifestado exigindo o fechamento das escolas. "Diante do cenário de calamidade da pandemia da covid-19, o Sintepe exige novamente a interrupção imediata das atividades presenciais em toda rede estadual de ensino, nas escolas de ensino médio e demais locais de trabalho", diz um trecho da nota.

"Para nosso espanto, o governador de Pernambuco Paulo Câmara, ao mesmo tempo em que admite 93% dos leitos de UTI ocupados, não incluiu as aulas na rede estadual de ensino como atividades que deveriam ser interrompidas. Se "precisamos reduzir o contato social", como diz o governador, é imperativo interromper as atividades presenciais na educação como forma de reduzir contágios, internamentos e mortes", destaca o Sintepe em outro trecho do comunicado.

 

Comentários

Últimas notícias