COLUNA MEU PET

Pulgas e carrapatos podem ser levados para dentro de casa através da roupa

Não é porque o animal fica exclusivamente dentro de casa que está livre de parasitas; veterinário explica cuidados

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 30/06/2020 às 17:49
Notícia
Pixabay
Coceira é principal sinal de que parasitas estão presente nos animais - FOTO: Pixabay
Leitura:

Por Priscila Miranda, da coluna Meu Pet

Com a brusca diminuição de passeios com pets ou até mesmo o corte de atividades em ambientes externos por causa da pandemia do novo coronavírus, muitos tutores devem achar que seus animais estão livres de pulgas e carrapatos. Mas é preciso estar atento, pois esses parasitas podem entrar em casa através das roupas das pessoas.

O médico veterinário e gerente técnico pet da MSD Saúde Animal, Márcio Barboza, explica que os cuidados com o espaço em que cães e gatos ficam em casa devem ser constantes.

“Esses parasitas podem estar em todo lugar e podem ser levados para dentro de casa por nós. Isso porque, principalmente as pulgas podem entrar na casa pela roupa do tutor, enquanto os carrapatos podem escalar as paredes do imóvel, infestando, desta forma, o ambiente”, diz.

Leia também: >> Limpeza de ouvido de cães e gatos pode agravar inflamações, diz veterinária

>> Assim como os humanos, os animais também necessitam de um momento de descontração

>> Aprenda como cortar as unhas de cães e gatos em casa

>> Pessoas do grupo de risco do coronavírus também precisam de ajuda para cuidar de seus pets

A limpeza do ambiente e dos animais precisa ser feita com frequência. “É importante a utilização de produtos recomendados para a prevenção e controle de parasitas que tratem o animal e limpem o ambiente. Hoje, existem no mercado diversas formas para tratar os animais, tanto cães como gatos. Mas acreditamos que a melhor forma é a utilização de um produto que aja rapidamente, sistematicamente, ou seja, da ponta da cauda até a pontinha do focinho, não deixando nenhuma parte do corpo desprotegida e não sofrendo a influência de banhos [que retirem produto].”

O especialista afirma que a coceira no corpo dos pets é o principal sinal de alerta para os tutores de que há a presença de parasitas. “Se observado esse sintoma, é importante verificar se há algum sinal na pelagem ou levar ao veterinário para uma consulta mais minuciosa”, indica.

Sobre a dificuldade de dar remédios via oral para cães e principalmente gatos, o veterinário recomenda um produto que possa ser passado na pele do pet.

“Sabemos que a administração oral de medicamentos para gatos muitas vezes não é fácil. Por isso, a dica é que existe, no mercado, produto com aplicação diretamente na pele do gato para controle de pulgas e carrapatos”, afirma o especialista.

As complicações causadas pelos parasitas

A falta de controle e tratamento de pulgas e carrapatos pode levar a sérias complicações da saúde do animal e, inclusive, transmitir outras doenças até para as pessoas.

“A pulga, por exemplo, pode fazer com que o gato seja portador de uma bactéria que transmite uma doença chamada ‘doença da arranhadura do gato’ para nós, seres humanos. Além disso, esses parasitas podem trazer diversos outros problemas [pro animal], como a dermatite alérgica, transmitir uma bactéria causadora de uma anemia infecciosa felina. Também podem transmitir um verme chamado de pelidium caninum, que pode infectar nós, seres humanos. Ou seja, a importância de manter o felino protegido é a prevenção de doenças tanto para ele como para nós, que convivemos com o animal”, finaliza.

LEIA MAIS TEXTOS DA COLUNA MEU PET EM jc.com.br/meu-pet

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias