PANDEMIA

Rússia aprova a primeira vacina contra a covid-19 para animais

A vacina é apenas para animais carnívoros, e garante 100% de eficácia

Katarina Moraes AFP
Katarina Moraes
AFP
Publicado em 31/03/2021 às 7:55
Notícia
FREEPIK/USER18526052
No Brasil, o Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) constatou cinco casos de animais com a covid-19 - FOTO: FREEPIK/USER18526052
Leitura:

A Rússia anunciou, nesta quarta-feira (31), a aprovação da primeira vacina contra coronavírus para animais no mundo, a Carnivac-Cov, que garante ter um índice de eficácia de 100% e começará a ser produzida em massa a partir de abril.

"Os ensaios clínicos da Carnivac-Cov, que começaram em outubro do ano passado (...) concluíram que a vacina é segura e altamente eficaz, já que 100% dos animais testados desenvolveram anticorpos", afirmou Konstantin Savenkov, vice-diretor da agência veterinária e fitossanitária nacional, a Rosselkhoznadzor, em um comunicado.

Os animais analisados foram gatos, cães, raposas vermelhas e polares e visons. De acordo com a Rosselkhoznadzor, a vacina é apenas para animais carnívoros. Segundo Savenkov, a "produção em massa" deste imunizante começará em abril.

A vacina foi desenvolvida por uma filial da Rosselkhoznadzor, o Centro Federal de Saúde Animal, que está em contato com empresas de peles de vários países europeus interessadas em comprá-la.

Na terça-feira, funcionários militares da região de São Petersburgo (noroeste) anunciaram que os animais que participarem do desfile militar para as comemorações da Segunda Guerra Mundial, ou que forem levados para o aeroporto da cidade deverão estar vacinados.

» Saiba tudo sobre animais na coluna Meu Pet, do JC

De acordo com a Rosselkhoznadzor, o desenvolvimento desta vacina foi "particularmente importante", já que várias espécies animais são sensíveis à covid-19. Na Rússia, segundo a agência, dois casos de infecção em gatos foram registrados até agora, em Moscou e em Tyumen, na Sibéria.

Em novembro, a Dinamarca decidiu sacrificar todos os seus visons, porque se suspeitava de que os 15 milhões de animais fossem portadores e vetores de uma mutação do coronavírus que poderia ser problemática para os humanos.

Casos de coronavírus em animais no Brasil

No Brasil, o Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) constatou cinco casos de animais com a covid-19, após testar mil pets em cinco cidades do país:Curitiba, Campo Grande, Recife, São Paulo e Belo Horizonte.

No entanto, o pesquisador que coordena a pesquisa na UFMG, David Soeiro, do Laboratório de Epidemiologia e Controle de Doenças Infecciosas e Parasitárias do ICB, disse que os resultados evidenciam a ideia de que os bichinhos podem ser contaminados pelos tutores, não o oposto.

Últimas notícias